O ator Paul Walker, astro da franquia “Velozes e furiosos” ao lado de Vin Diesel, morreu na tarde de ontem,sábado (30), aos 40 anos, em um acidente de carro em Santa Clarita, na Grande Los Angeles, nos Estados Unidos.

Paul Walker foi dar uma volta como passageiro no Porsche do amigo e piloto Roger Rodas que perdeu o controle do carro bateu em um poste e pegou fogo. Segundo o departamento de Polícia do condado de Los Angeles, o acidente aconteceu por volta das 15h30, no horário local, 21h30 do Brasil. Em 2011 outro ator , Ryan Dunn, também morreu carbonizado no seu Porsche, depois de um violento acidente.

Porsche 911

Embora os indícios preliminares são de excesso de velocidade, inclusive pelas condições em que o veículo ficou, vários sites especializados em automóveis já estão fazendo referência a possível conexão com o recall da Porsche exatamente por risco de incêndio. A Porsche realizou recall e alertou as autoridades americanas sobre defeito que poderia causar incêndio. (Veja o documento em inglês de julho de 2012 – http://www-odi.nhtsa.dot.gov/acms/cs/jaxrs/download/doc/UCM423706/RCDNN-12V329-5601.pdf ) . Na Alemanha o Porsche é considerado um dos carros com maior índice de incêndio. Uma das razões seria o motor traseiro e o tanque na frente, bem próximo dos pés do passageiro. Há ainda registro de recall realizado em julho de 2011, por problemas nas rodas do modelo 911, que também pode provocar a perda de controle do veículo.

No Brasil há também casos graves. Em outubro de 2010 um empresário gaúcho bateu com seu Porsche e morreu carbonizado em Porto Alegre. No mês de novembro deste ano de 2013, um Porsche pegou fogo no motor em Belo Horizonte. Uma das hipóteses levantadas pela imprensa mineira, é de que o veículo pegou fogo, apesar de ter passado na concessionária por revisão em que incluía a checagem de possível problema que poderia gerar um foco  de incêndio.

Chama atenção também o baixo índice de comparecimento dos motoristas convocados.Segundo o Procon-SP,  apenas 33% dos 1.103 proprietários de Porsche convocados em março do ano passado para recall de faróis que poderiam soltar em plena pista. No site do Denatran, que também deveria informar sobre recall, ao tentarmos acessar a página de consulta o banco de dados não funcionava. No site da Porsche do Brasil não há informação sobre nenhum recall. Portanto, a empresa que representa a Porsche pagou para divulgar o recall dos faróis não informa gratuitamente no seu site, apesar de apenas 33% dos proprietários terem comparecido, o que demonstra a importância de alertar os poucos e abastados proprietários de Porsche no Brasil.

No site do www.procon.sp.gov.br consta o recall dos faróis mas não aparece o recall do risco de incêndio. A justificativa poderia ser que o chassis não faz parte da convocação mundial. Entretanto, com frequência, novos casos motivam outras outras convocações e envolvem outros modelos da mesma marca. (Veja o recall feito pela Porsche no Brasil: http://sistemas.procon.sp.gov.br/recall/menu2/popup_resumo_recall.php?id=626

Na avaliação de Rodolfo Rizzotto, autor do livro: Recall -O que as Montadoras Não Contam’ , o assunto merece maior atenção das autoridades: ” Carros, especialmente modelos tão caros como o Porsche, não foram feitos para pegar fogo após um acidente. É preciso levar em conta a possibilidade de defeito de fabricação. Com o motor traseiro, a tendência, no caso de fumaça no motor,  é o motorista olhar para trás para ver o que está acontecendo , com o risco de perder o controle do veículo. Lógico que depois da colisão o risco de incêndio com um modelo com tanque a frente aumenta. ” esclarece.  Rizzotto vai mais além e questiona a falta de divulgação dos recalls da Porsche no site da empresa no Brasil. “Por que uma empresa paga para anunciar o recall em vários meios de comunicação e não divulga sem custo no seu site?, pergunta Rizzotto.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui