PERIGO À VISTA: DER de SP suspendeu os contratos referentes aos serviços de gerenciamento de radares nas rodovias estaduais. Foto: Divulgação

Segundo o órgão, cancelamento foi por conta da pandemia. Só os radares estáticos estão suspensos; fixos e portáteis operam normalmente

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de São Paulo publicou na quinta-feira (14) nota de esclarecimento sobre que sua iniciativa de suspensão de contratos referentes aos serviços de gerenciamento de radares nas rodovias estaduais.

De acordo com a nota, a interrupção, publicada nas edições do Diário Oficial do Estado (DOE), de 18 e 23 de abril, se deu por causa do atual momento de crise da covid-19, pois “o Governo de São Paulo está redirecionando recursos para conter a doença”.

Ainda de acordo com o comunicado, não havia irregularidade nos contratos, que já estavam em trâmite no DER antes da pandemia do coronavírus e se referiam à continuidade do serviço de equipamentos de imagens.

De acordo com a nota, depois das suspensões, o DER recebeu no dia 24 de abril pedido de explicações do Ministério Público (MP) do Estado sobre os contratos. E, na sequência, foi a vez do Ministério Público de Contas solicitar esclarecimentos.

O comunicado diz ainda que o DER já respondeu aos referidos órgãos. “O DER frisa ainda que o respeito às leis de trânsito, como o limite de velocidade estabelecido nas vias, é fundamental para a redução de acidentes e salvar vidas”.

Radares fixos operam

O Estradas.com.br manteve contato com o DER para obter uma posição a respeito da fiscalização de velocidade nas rodovias paulistas.

Por meio da assessoria de imprensa, o DER informou que “os contratos suspensos são de radares estáticos presentes em algumas rodovias concessionadas. Outros radares, de sistemas fixo e portátil, seguem operando normalmente“.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui