RONDÔNIA: As obras na BR-364, entre Ji Paraná e Ouro Preto do Oeste, em Rondônia, foram finalizadas pelo Dnit. Foto: Divulgação

De acordo com a Autarquia, trecho fica localizado entre as cidades de Ji Paraná e Ouro Preto do Oeste

As obras em busca de melhores condições de trafegabilidade na BR-364, no Estado de Rondônia, continuam. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) entregou, nesta semana, mais 30 quilômetros de pista recuperada na rodovia federal. O trecho, do km 345 ao km 375, fica localizado entre os municípios de Ji Paraná e Ouro Preto do Oeste.

As equipes da Autarquia finalizaram os serviços de fresagem, de recomposição com Concreto Betuminoso Usinado à Quente (CBUQ) e do reforço, além da sinalização horizontal do trecho.

Balanço

Com recursos de cerca de R$ 120 milhões, o Dnit tem obras de manutenção, de conservação e de recuperação em outros trechos da BR-364. No último mês de julho, mais 9 quilômetros de pista recuperada foram entregues à população. O trecho fica localizado entre a Vila Guaporé e o município de Pimenta Bueno. Assim, do km 0 ao km 197 estão 100% restaurados e com pavimento novo.

No trecho entre os municípios de Presidente Médici (RO) até Ouro Preto do Oeste (RO), o Órgão trabalha do Km 370 ao Km 380. Entre os Kms 430 e 570, há várias frentes de serviço, que incluem fresagem, recomposição, reforço e reconstrução. A autarquia já contemplou aproximadamente 80 dos 140 quilômetros previstos.

A expectativa é de que, ainda em 2020, a camada de recomposição de (CBUQ) seja executada até o Km 570 da rodovia. Já do Km 938 ao 1.092, na divisa com o Estado do Acre, já foram iniciados os serviços de recuperação do pavimento.

Em 2021, a recuperação terá continuidade nos segmentos entre Pimenta Bueno e Médici e entre Jaci Paraná e a ponte do Abunã.

Importância

A BR-364 é o principal corredor logístico para o escoamento da safra de grãos de Rondônia, além da parte Oeste e Norte do Estado de Mato Grosso. Passam na rodovia federal aproximadamente 8 milhões de toneladas de grãos por ano.

Fonte: Comunicação do Dnit

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui