PRÊMIO: Foz do Iguaçu ganhou nessa semana mais um prêmio que valoriza o turismo local. A cidade foi vencedora do Prêmio Nacional do Turismo 2019, com o projeto Gestão Integrada do Turismo. Fotos: Divulgação

São 275 quedas d’água que se formam em uma extensão de quase três quilômetros, além de rica fauna e flora. Cidade venceu o Prêmio Nacional de Turismo, nessa quarta-feira (4), com o projeto Gestão Integrada do Turismo

Recém-vencedor do Prêmio Nacional de Turismo 2019 e terceiro destino mais visitado no Brasil, o município de Foz do Iguaçu pode não ser tão populoso, mas foi agraciado pela natureza com suas cataratas, que são consideradas uma das 7 Maravilhas da Natureza, com nada mais nada menos que 275 quedas d’água, um verdadeiro espetáculo, que merece sua visita.

QUEDAS: A 7ª Maravilha do Mundo recebeu no primeiro semestre deste ano, quase um milhão de turistas.

Começando a viagem dessa semana, o Estradas.com.br traz um pouco da história de Foz do Iguaçu que, de um simples vilarejo, no início do século XX, com dois mil habitantes, quatro mercearias, uma hospedaria, um rústico quartel militar, uma estação telegráfica, engenhos de açúcar e cachaça e uma agricultura de subsistência, tornou-se um dos destinos mais visitados do Brasil.

Era 14 de março de 1914, quando a Lei 1383 criou o Município de Vila Iguaçu, instalado efetivamente no dia 10 de junho daquele ano, com a posse do primeiro prefeito, Jorge Schimmelpfeng, e da primeira Câmara de Vereadores. E em 1918, o município passou a denominar-se “Foz do Iguaçu”.

TRÍPLICE FRONTEIRA: A famosa tríplice fronteira – Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú e Ciudad del Este – faz a demarcação territorial do Brasil, da Argentina e do Paraguai. Cada um dos três países possui o seu próprio obelisco, feito de pedra, cimento e pintados com as cores nacionais.

A estrada que liga Foz do Iguaçu a Curitiba tomou sua primeira forma em 1920; era uma estrada precária, cheia de obstáculos. Na segunda metade da década de 50, iniciou-se o asfaltamento da estrada que cortaria o Paraná de leste a oeste, ligando Foz do Iguaçu a Paranaguá, sendo inaugurada em 1969.

Parque Nacional

Já a história do Parque Nacional começa no ano de 1916, com a passagem por Foz do Iguaçu de Alberto Santos Dumont, o “Pai da Aviação”, seu legítimo “fundador”. Aquela área pertencia ao uruguaio Jesus Val. Santos Dumont intercedeu junto ao Presidente do Estado do Paraná, Affonso Alves de Camargo, para que fosse desapropriada e tornada patrimônio público, sendo declarada de utilidade pública no mesmo ano. Em 1939 foi criado o Parque Nacional do Iguaçu.

Com a inauguração da Ponte Internacional da Amizade (Brasil – Paraguai) em 1965, e a inauguração da BR-277, ligando Foz do Iguaçu a Curitiba e ao litoral, em 1969, Foz do Iguaçu teve seu desenvolvimento acelerado, intensificando seu comércio, principalmente com a cidade paraguaia de Puerto Presidente Stroessner (atual Ciudad del Este).

ITAIPU: A Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional foi construída pelo Brasil e pelo Paraguai no rio Paraná, entre os dois países. A potência instalada da Usina é de 14.000 MW (megawatts), com 20 unidades geradoras de 700 MW cada. Foz do Iguaçu (PR). Foto: Juan Praginestos

Itaipu

A maior central hidrelétrica do mundo, a de Itaipu, é uma obra de engenharia gigantesca e pode ser visitada pelos turistas. Sua construção, na década de 70, causou fortes impactos em toda a região, aumentando consideravelmente o contingente populacional de Foz do Iguaçu. Em 1960, eram 28.080 habitantes; em 1970, 33.970; em 1980, saltou para 136.320 habitantes, registrando um crescimento de 385%, e em 2019 já são 255.900 habitantes.

Classificado como Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, o Parque teve suas Cataratas protege espécies da fauna e da flora ameaçadas de extinção, como a onça-pintada e a araucária. Lá é possível conhecer a Garganta do Diabo, maior queda d’água do conjunto, com 90 metros de altura.

CRESCIMENTO: Em 1960, Foz tinha 28.080 habitantes; em 1970, 33.970; em 1980, saltou para 136.320 habitantes; e agora, em 2019, já são 255.900 habitantes

Foz do Iguaçu é caracterizada por sua diversidade cultural. São mais 90 nacionalidades estrangeiras, sendo que as mais representativas são oriundas do Paraguai, Líbano, China e Argentina.

A cidade, além de oferecer boa gastronomia e vida noturna agitada, tem muitas opções de passeios e dezenas de atrativos, para todos os gostos e estilos, para toda família, e principalmente para os amantes da natureza.

AVES RARAS: Parque das Aves tem mais de 800 espécias de aves, entre elas a arara-azul (foto), a jacutinga e muito mais.

Dentre eles, o Parque das Aves – com mais de 800 espécies de aves, entre arara-azul, ararajubas, jacutinga e outras que vivem no local –, as Cataratas do Iguaçu, o Templo Budista, a Cachoeira Secreta, o Refúgio Biológico Bela Vista, além do Marco das Três Fronteiras, que faz sucesso entre os visitantes.

Nele, há o encontro dos rios Iguaçu e Paraná e dos três importantes países da América do Sul: Brasil, Argentina e Paraguai. O local oferece um complexo comercial com lojas de artesanato e cafés, e você ainda pode apreciar um belo pôr do sol no miradouro.

PONTO QUERIDO: O obelisco faz sucesso entre os visitantes. Nele, há o encontro dos rios Iguaçu e Paraná e dos três importantes países da América do Sul: Brasil, Argentina e Paraguai.

Pratos típicos de Foz

Pirá de Foz

Criado em 1996, o Pirá de Foz é um verdadeiro prato típico de Foz. Eleito entre vários outros pratos à base de peixe, o prato foi idealizado por Dirceu Vieira dos Santos, cozinheiro do Hotel Bourbon.

Na linguagem tupi-guarani, “pirá” significa peixe, sendo que na receita original o peixe utilizado é o surubim, de carne saborosa, encontrado nos rios da região. A base do prato, ornamentado com o surubim, é molho de gengibre, purê de mandioca e arroz com espinafre.

MENU TÍPICO: Criado em 1996, o Pirá de Foz é pedida certa em Foz. Eleito entre vários outros pratos à base de peixe, o prato foi idealizado por Dirceu Vieira dos Santos, cozinheiro do Hotel Bourbon
Dourado Assado

Outro menu bastante tradicional – e servido nos diversos restaurantes da cidade – é o Dourado Assado, originário das águas do baixo Paraná, de carne muito saborosa. Normalmente, pescam-se exemplares com cerca de 70 centímetros de comprimento e peso de 6 quilos, mas existem registros de peixes com 1,4 metros e mais de 30 quilos.

A Pesca ao Dourado é o evento mais tradicional de Foz do Iguaçu. Anualmente, diversos pescadores de todo o Brasil, vão à cidade em busca do sabor incomparável desse peixe de carne branca e macia.

Primeira loja franca

A Receita Federal (RF), autorizou nessa semana, o funcionamento da primeira loja franca de Foz do Iguaçu. A Sky Duty Free é a primeira loja franca do município e terá cota de compras mensal de 300 dólares, para brasileiros em viagens a cidades gêmeas de fronteira, incluindo a população local. A previsão é que abra as portas ainda neste mês.

PRIMEIRA LOJA FRANCA: A loja está instalada na Marechal Deodoro, 1.402, no Centro de Foz do Iguaçu.

US$ 800

Com essa medida, a cota de compras de quem atravessa a fronteira terrestre, que é de US$ 300, e será de US$500 a partir de janeiro de 2020, o turista brasileiro, em viagem a Foz do Iguaçu, poderá levar até US$ 800 em compras, uma vez por mês.

“Cada comprador poderá, mensalmente, se abastecer com US$ 300 de produtos (controle será pelo CPF) até o final dest

As lojas francas são autorizadas a comercializar no Brasil bebidas alcoólicas, perfumes, relógios, óculos de sol, artigos de viagem, tabaco, acessórios em geral e até eletrodomésticos. Até o momento, só haviam duas lojas francas em operação no país, localizadas na fronteira do Rio Grande do Sul.

Onde ficar

Hotel Tarobá

LAZER NAS ALTURAS: O Hotel Tarobá oferece todo o conforto a seus hóspedes, além de uma piscina nas alturas.

Considerado um dos melhores hotéis custo-benefício em Foz do Iguaçu e região, o Tarobá Hotel é moderno e oferece atendimento de qualidade – de acordo com depoimentos de turistas no Trip Advisor –, conforto e modernidade.

Bem localizado no centro da cidade, o Tarobá tem 176 apartamentos, 100% não fumantes, além de serem equipados com cama box, ar condicionado, frigobar, TV a cabo, telefone, secador de cabelo, cofre digital e fechadura eletrônica.

CONFORTO: São 176 apartamentos, 100% não fumantes, equipados com cama box, ar condicionado, frigobar, TV a cabo, telefone, secador de cabelo, cofre digital e fechadura eletrônica

Se você é daqueles hóspedes que já chega no hotel pensando no café da manhã, acertou. O Tarobá Hotel serve seu café da manhã em um amplo e confortável restaurante, com produtos de qualidade e muitos saborosos – também conforme disseram os turistas –, e o que é melhor: em horário especial, das 6h às 10h. Ou seja, você e sua família, terão um bom tempo para saborear o café da manhã com uma bela vista panorâmica.

SAUDÁVEL: O Tarobá Hotel serve o café da manhã em um amplo restaurante com produtos saborosos e o que é melhor: em horário especial, das 6h às 10h.

Além disso, os hóspedes têm à disposição wi-fi e estacionamento rotativo gratuitos, salão de jogos, espaço fitness center, piscina aberta com vista panorâmica na cobertura do hotel, cadeira de massagens, capela, playground, ferro e tábua de passar roupa e balança para bagagem.

Além de tudo isso, o Tarobá oferece o espaço “Business Center” com internet e impressora sem nenhum custo para os hóspedes. Informações: (45) 2102-7770 e https://www.hoteltarobafoz.com.br/

Hotel Bogari

Moderno e aconchegante, o Bogari Hotel, no centro de Foz do Iguaçu está equipado com quartos novos e espaçosos, balcão de atendimento ao turista, jacuzzis, bar, restaurante e garagem. Com localização privilegiada, na principal avenida comercial da cidade e próximo ao terminal de transportes urbano, o Bogari Hotel está pronto para acolher você e sua família na Terra das Cataratas.

DELÍCIAS: Café da manhã com mais de 90 itens para você degustar, pães e bolo com aquele gostinho de receita da avó –, além de frutas frescas, sucos, café e chás.

Um dos pontos fortes do hotel é o café da manhã, servido, entre 6h e 10h, num restaurante amplo e com boa iluminação natural. São mais de 90 itens para você degustar, pães e bolo – com aquele gostinho de receita da avó –, além de frutas frescas, sucos, café e chás.

No jantar, o Vila Iguassu oferece um novo conceito gastronômico para a tríplice fronteira. Nas paredes do restaurante, é possível voltar ao tempo. O cardápio é variado com pratos nacionais, regionais e até internacionais – assinados por chefs regionais. A dica é o prato Pirá de Foz, típico da cidade.

JANTAR: No jantar, o Vila Iguassu oferece um novo conceito gastronômico para a tríplice fronteira. O cardápio é variado com pratos nacionais, regionais e até internacionais.

Espaço pet

O seu animal de estimação é bem-vindo nos hotéis do grupo Bella Italia, e o Hotel Bogari é um deles. Mas, antes de fazer a reserva, saiba quais são os cuidados necessários na hora da hospedagem e garanta uma estadia tranquila, Informe-se com a recepção. Informações: (45) 3545-7000 e https://www.bogarihotel.com.br/

Hotel San Juan

Uma outra opção com bom custo-benefício é o Hotel San Juan, que está localizado na região central, e possui boa infraestrutura para os turistas. O local conta com piscinas adulto e infantil, aquecidas pelo sol tropical de Foz do Iguaçu.

LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA: outra opção com bom custo-benefício é o Hotel San Juan, com boa localização próxima à região central, e possui boa infraestrutura para os turistas.

Os apartamentos são equipados com internet Wi-Fi, telefone, ar condicionado split, TV a cabo e frigobar. No valor da diária estão inclusos o café da manhã e o estacionamento. O hotel dispõe ainda de sala de reuniões, serviço de lavanderia, copa 24h, bar e churrasqueira, além de um belíssimo espaço verde, com vários tipos de plantas e árvores frutíferas. Informações: (45) 2105-9100 e https://www.sanjuanhoteis.com.br/pt_BR/hotel/5/san-juan-tour

Como chegar

É possível chegar até Foz do Iguaçu de carro, ônibus e avião. Se fora de carro, são 1.063 quilômetros partindo da capital paulista, e a viagem é feita pela Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) e a Rodovia Transbrasiliana (BR-277), já no estado paranaense. No total, õ usuário terá que desembolsar R$ 113,50 para o pagamento das tarifas de 15 praças ao longo da viagem.

Agora, se optar pela viagem de ônibus, o tempo médio de viagem é 16 horas. O ônibus sai tanto do Terminal Tietê quanto o da Barra Funda. Há somente duas empresas que fazem o trajeto: Kaiowá ( http://www.expressokaiowa.com.br ) e Pluma ( http://www.pluma.com.br ). Ambas saem do Terminal Tietê, mas a Pluma oferece saídas também da Barra Funda. Já a terceira, e mais convidativa, não ultrapassa 1h45 de voo, partindo de Cumbica, em Guarulhos (SP).

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui