Obras da artista plástica e escritora japonesa, Yayoi Kusama; seu trabalho é uma mistura de diversas artes, como colagens, pinturas, esculturas, arte performática e instalações ambientais, onde é visível a obsessão por pontos e bolas. Foto: Divulgação

Referência mundial, o Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG), está aberto para visitas de terça a domingo

Os recentes e tristes acontecimentos na cidade Brumadinho, em Minas Gerais, felizmente, pouparam o maior museu a céu aberto do mundo, o Museu de Arte Contemporânea, além do Jardim Botânico, que ficam a 60 quilômetros da capital mineira, Belo Horizonte.

Reduto de obras de renomados artistas nacionais e estrangeiros, o local não sofreu nenhum dano por conta do rompimento da barragem da Vale, em janeiro deste ano. O local está em pleno funcionamento para receber turistas de toda as partes do país, exceto às segundas-feiras.

A sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil compreende 140 hectares, onde o visitante é surpreendido com galerias e obras dispostas entre jardins e paisagem espetaculares.

O Inhotim abriu as portas, em 2006, e inseriu o estado de Minas Gerais na cena da arte contemporânea mundial, o que fez gerar aquecimento na economia local com a criação de empregos.

Abre a Porta, 2006, de John Ahearn e Rigoberto Torres, foi feito com tinta automotiva sobre fibra de vidro. Foto: Divulgação

A partir daí, o Museu tem demonstrado seu forte compromisso com o desenvolvimento humano por meio do amplo acesso a seus acervos artístico e botânico.

Devido à sua extensão e localização privilegiada – entre os ricos biomas da Mata Atlântica e do Cerrado –, o Inhotim possibilita que artistas criem site-specifics de forma única e inovadora, além de viabilizar a exibição permanente de obras de grande escala que normalmente não poderiam ser expostas em museus tradicionais.

Tudo isso proporciona ao visitante uma experiência singular, que integra arte, natureza, cultura, arquitetura, entretenimento e educação.

Centro Educativo Burle Marx atende a todas as atividades de educação desenvolvidas em torno do acervo e das exposições. Foto: Divulgação

Importância ambiental

Na área ambiental, o Inhotim possui uma coleção de cerca de 4,5 mil espécies de todos os continentes – algumas raras e ameaçadas de extinção. Para além da estética, o acervo é utilizado pela equipe do Jardim Botânico para a realização de estudos com vistas à conservação da biodiversidade e combate à mudança climática.

Educação valorizada

No campo da educação, por sua vez, o Educativo Inhotim atende, anualmente, 40 mil pessoas, que participam desde programas de formação a visitas mediadas. Atualmente, mais da metade dos visitantes entram no Inhotim gratuitamente por meio dos projetos socioeducativos e das quartas-feiras livres.

Arte Contemporânea

O Instituto Inhotim conta com um acervo em exposição formado por pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, vídeos e instalações de cerca de 60 artistas, de 38 países diferentes. Em torno de 700 obras encontram-se em exposição atualmente, dispostas ao ar livre no Jardim Botânico do Inhotim ou exibidos em galerias.

Das 23 galerias, quatro são dedicadas a exposições temporárias: Lago, Fonte, Praça e Mata; e as outras 19 são permanentes e apresentam obras de Tunga, Cildo Meireles, Miguel Rio Branco, Hélio Oiticica & Neville d’Almeida, Adriana Varejão, Doris Salcedo, Victor Grippo, Matthew Barney, Cristina Iglesias e Claudia Andujar, entre outros.

De Lama Lâmina, 2009, de Matthew Barney, domo geodésico em aço e vidro, trator florestal, escultura em polietileno de alta densidade. É o último desdobramento de um projeto que teve origem numa performance realizada em parceria com o músico Arto Lindsay, durante o carnaval de Salvador, em 2004. Foto: Divulgação

Além das exposições temporárias e permanentes, o acervo de arte contemporânea é frequentemente ativado e revisto por meio de ações, performances e publicações.

Jardim Botânico

O Instituto Inhotim não só se preocupa com o meio ambiente, como está inserido em uma relevante porção florestal remanescente de Mata Atlântica e Cerrado – dois dos biomas mais ricos em biodiversidade e, ao mesmo tempo, ameaçados do planeta, considerados hotspots mundiais.

Dos 140 hectares da área de visitação, 42 são de jardins. O Inhotim também possui um Viveiro Educador e uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) com 249 hectares.

Em meados da década de 80, iniciaram-se as obras paisagísticas dos belos jardins que futuramente viriam a formar o Instituto Inhotim. Em 2010, a expressiva coleção permitiu o reconhecimento do Instituto como Jardim Botânico.

Dentre as aproximadamente 4,5 mil espécies do acervo botânico, duas famílias se destacam: a de palmeiras (Arecaceae); e a dos imbés, antúrios e copos-de-leite (Araceae).

Atualmente o Inhotim possui sete jardins temáticos: Vandário; Jardim de Todos os Sentidos; Jardim Desértico; Jardim Veredas; Jardim de Transição; Jardim pictórico; e Largo das Orquídeas.

Visita Panorâmica: conversa e reflexão sobre o espaço do Inhotim e seus acervos, explorando as várias possibilidades de percurso. Foto: Divulgação

Ações Educativas

Os acervos artístico e botânico do Instituto são utilizados para produção de conhecimento e desenvolvimento de ações educativas, atendendo às escolas e às universidades, além de diferentes instituições do setor público e privado de Minas Gerais.

Além de parcerias com escolas, prefeituras e secretarias municipais e estaduais de educação, desenvolvimento social e saúde, também são oferecidas gratuitamente visitas mediadas educativas para o público em geral, que acontecem em horários e locais preestabelecidos:

Visita panorâmica: Conversa e reflexão sobre o espaço do Inhotim e seus acervos, explorando as várias possibilidades de percurso. Com duração de 1h30, acontece em todos os dias de visitação, às 11h e às 14h. O ponto de partida é a recepção de Inhotim.

Visita temática: Conversa e reflexão sobre temas específicos que envolvem o acervo artístico ou botânico do Inhotim. Com duração de 1h30, acontece às quartas-feiras, sábados, domingos e feriados, às 10h30, saindo da recepção.

Gastronomia

No Inhotim, os visitantes contam com várias opções de alimentação, que vão de lanches rápidos a pratos mais elaborados. O Restaurante Tamboril possui um ambiente agradável e integrado aos jardins e ao acervo de arte contemporânea da Instituição.

“Camarão no Linguado” é uma excelente pedida no Restaurante Tamboril. Foto: Divulgação

Mais amplo, o Restaurante Oiticica está localizado próximo à obra Penetrável Magic Square # 5, De Luxe (1977). O espaço oferece refeições que incluem saladas e opções de caçarolas quentes.

Já o Café das Flores está na recepção do Inhotim e é ideal para iniciar ou encerrar a visita com o melhor pão de queijo que se pode imaginar. Há ainda opções de lanche e almoço.

E o Café do Teatro, no Centro de Educação e Cultura Burle Marx, oferece opções de bebidas quentes e geladas, sanduíches, salgados e doces. Funciona às quartas-feiras, sábados, domingos e feriados.

Mimos e presentes

A loja do Inhotim, localizada na entrada do Instituto, oferece itens de decoração, utilitários, livros, brinquedos, peças de cerâmica, vasos, plantas e produtos da culinária típica regional, além da linha institucional do Parque.

Sustentabilidade financeira

O Inhotim é uma entidade privada, sem fins lucrativos, reconhecida pelo Governo do Estado de Minas Gerais como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). O Instituto é mantido com recursos de doações de pessoas físicas e jurídicas, de maneira direta e incentivada, tudo com amparo na Lei Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.

Serviço:

Instituto Inhotim

Aberto: às terças, quartas, quintas e sextas-feiras, das 9h30 às 16h30 e aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30

Entrada: R$ 44 inteira (meia-entrada válida para estudantes identificados, maiores de 60 anos e parceiros). Crianças de até cinco anos não pagam. Às quartas-feiras (exceto feriados), a entrada é gratuita.

Informações gerais: www.inhotim.org.br e (31) 3571-9700

Onde se hospedar:

Hotel Ville de Montagne está localizado no centro de Brumadinho e oferece conforto, gastronomia e muito lazer. Foto: Divulgação

Hotel Ville de Montagne – Parceiro do instituto Inhotim, o Ville de Montagne é um hotel elegante, confortável e moderno localizado no centro de Brumadinho, a quatro quilômetros do Instituto Inhotim. Está focado em atender a seus hóspedes com excelência e cordialidade. O hotel possui estacionamento gratuito. Informações: https://www.villehotelmg.com  

Estrada Real Palace Hotel – Parceiro do Instituto Inhotim, o Estrada Real Palace Hotel está localizado a apenas 4 km do Inhotim, o hotel se destaca pela estrutura, localização e boas e confortáveis acomodações. Inaugurado em 2013, o hotel foi inspirado nos belos cenários ao longo do Circuito Estrada Real, conjunto de rotas históricas que é hoje um dos mais requisitados destinos turísticos mineiros. Para a comodidade e bem-estar dos clientes, o hotel oferece desde o café da manhã até os quitutes da cozinha mineira. Informações: https://www.hotelembrumadinho.com.br/ 

Suítes de luxo e itens de conforto fazem do Estrada Real Palace Hotel uma boa opção para quem visita Brumadinho. Foto: Divulgação

Como chegar:

O Inhotim está localizado no município de Brumadinho, a 545 km de São Paulo (aproximadamente 7h45 de viagem).

Quem sai de São Paulo, tem como opção a Rodovia Fernão Dias (BR-381). No percurso, há oito pedágios, que custam R$ 2,40 para veículos de passeio, que são os dos municípios de Mairiporã e Vargem, em São Paulo; Cambuí, São Gonçalo do Sapucaí, Carmo da Cachoeira, Santo Antônio do Amparo, Carmópolis de Minas e Itaiauçu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui