RIO DOS SINOS: O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) iniciou na semana passada a construção das outras duas pontes que integram o complexo de travessias sobre o rio dos Sinos na BR-116, em São Leopoldo (RS). Fotos: Divulgação/DNIT

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), serviços devem ser finalizados em janeiro de 2022

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) iniciou na semana passada a construção das outras duas pontes que integram o complexo de travessias sobre o rio dos Sinos na BR-116, em São Leopoldo (RS).

De acordo com a Autarquia, os trabalhos de cravação de estacas das transposições sobre a várzea do rio devem seguir até o final de janeiro de 2022. Estas pontes, juntamente com as que estão em construção sobre o canal principal, integram o Lote 1 das Obras de Melhoramentos Físicos e de Segurança de Tráfego da rodovia, no qual está prevista uma reformulação significativa em um segmento de 38,5 quilômetros, entre Novo Hamburgo e Porto Alegre.

Ainda segundo o Dnit, ao todo serão cravadas 64 estacas tipo raiz, com diâmetro de 40 centímetros e, aproximadamente, 11 metros de comprimento. O início da construção das duas pontes foi possível pelo baixo nível das águas do rio dos Sinos, estando a várzea completamente seca.

O complexo

As obras das duas travessias sobre o canal principal do rio dos Sinos iniciaram em março deste ano. Ao todo, serão construídas quatro novas pontes, paralelas às existentes, duplicando o número de faixas de trânsito de duas para quatro por pista na BR-116/RS, no complexo dos Sinos. Serão duas pontes sobre o canal principal e outras duas na várzea do rio dos Sinos. Este ponto é considerado um dos principais gargalos no tráfego do trecho metropolitano da rodovia – onde cerca de 140 mil veículos transitam diariamente.

As pontes sobre o canal principal, quando concluídas, terão 100 metros de comprimento e 11,3 metros de largura, com duas novas faixas de tráfego, passeio e ciclovia. Com cinco vãos de 20 metros, cada uma é composta por seis blocos de fundação. Cada bloco é suportado por oito estacas do tipo raiz, com 40 centímetros de diâmetro e comprimentos variáveis de oito a 13 metros. De acordo com o projeto, as estacas estão de dois a três metros cravadas em rocha, no subleito do rio.

Solução similar foi adotada também para as duas pontes da várzea do rio dos Sinos.  Elas serão construídas ao lado das duas existentes, possibilitando a reconfiguração atual de duas faixas de tráfego, por sentido, para quatro faixas. Neste caso, as novas estruturas terão 60 metros de extensão e 11,3 metros de largura, com duas novas faixas de tráfego, passeio e ciclovia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui