A OHL Brasil divulgou lucro líquido de R$ 104,73 milhões no quarto trimestre, avanço de 34,2% em relação ao mesmo período do ano passado, mas com queda de 24,3% na comparação com o terceiro trimestre do ano.

O Ebitda (geração operacional de caixa) ajustado somou R$ 303,52 milhões de outubro a dezembro, com crescimento de 13,7% sobre o quarto trimestre do exercício anterior. Já a margem Ebitda (relação percentual entre a receita líquida e o Ebitda) ajustada foi de 39%, com queda de 6,7 ponto percentual ante índice de 45,7% de 2010.

O volume de tráfego pedagiado das concessionárias estaduais e federais apresentou crescimento de 3,6% no trimestre quando comparado ao mesmo período de 2010, passando de 168,2 milhões para 174,3 milhões de veículos equivalentes. O principal fator que influenciou o aumento foi a implantação da cobrança bidirecional em quatro praças de pedágio da concessionária estadual Centrovias.

A dívida líquida totalizou R$ 1,8 bilhão no período, com aumento de 11,5% frente ao terceiro trimestre de 2011. O nível de endividamento líquido, segundo a OHL, é reflexo do cumprimento dos programas de investimentos das concessionárias federais.

A companhia investiu R$ 337,7 milhões com investimentos em ativos intangíveis e imobilizados, e manutenção de rodovias no quarto trimestre, sendo que 87,1% dos recursos foram aplicados nos projetos das concessionárias federais. Nos ano, os desembolsos totalizaram R$ 1 bilhão.

Receita

Na base de comparação com o quarto trimestre de 2010, a receita líquida passou de R$ 548,55 milhões para R$ 777,74 milhões, o que sinaliza uma evolução de 33,1%. Quando comparado ao terceiro trimestre de 2011, a alta é de 5,5%. De acordo com a OHL, esse crescimento ocorreu pelo reajuste contratual das tarifas de pedágio e pelo aumento da receita de construção.

As concessionárias estaduais foram responsáveis por 57,5% da receita de pedágio, encerrando o trimestre com R$ 290 milhões (+13,0%), enquanto as concessionárias federais avançaram 14,4%, encerrando o trimestre com R$ 214 milhões, crescendo sua participação na arrecadação 42,5.

Em 2011 as concessionárias estaduais e federais arrecadaram, respectivamente, R$ 1,1 bilhão (+11,3%) e R$ 817,9 (+24,0%) milhões em receitas de pedágio, totalizando R$ 1,9 bilhão em receita de pedágio consolidada, crescimento de 16,4% frente a 2010.

A receita com a cobrança eletrônica (Sistema AVI) nas praças de pedágio das concessionárias estaduais representou 61,2% nos últimos três meses de 2011, contra 57,3% no mesmo período de 2010. Nas concessionárias federais, o percentual médio de receita com cobrança eletrônica foi de 44,3% no trimestre.