RACHA: Um dos motociclistas que participou de um racha e depois provocou um acidente em Craíbas, no Agreste de Alagoas, foi indiciado por ter provocado a morte de Carlos Henrique Virtuoso da Silva, de 18 anos, durante uma competição na AL-220, em dezembro do ano passado. Foto: Divulgação/BPRv

De acordo com a Polícia Civil, na ocasião do acidente, dezembro de 2020, um jovem de 18 anos morreu no local, após o homem indiciado colidir contra sua moto; ambos praticavam racha na rodovia

Um dos motociclistas que participou de um racha e depois provocou um acidente em Craíbas, no Agreste de Alagoas, foi indiciado por ter provocado a morte de Carlos Henrique Virtuoso da Silva, de 18 anos, durante uma competição na rodovia. O motociclista foi indiciado também por ter atropelado um homem que estava no local. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (27) pela Polícia Civil.

O caso ocorreu no dia 9 de dezembro de 2020, por volta das 18h30, na rodovia AL-220 no povoado Lagoa da Angélica, Zona Rural de Craíbas.

As investigações mostraram que as duas pessoas que se envolveram no acidente participavam de um racha e estavam em alta velocidade. Ao passar por uma curva, Carlos Henrique colidiu contra uma cinquentinha e na sequência, o indiciado colidiu contra a moto dele que caiu e entrou em óbito ainda no local. O indiciado não sofreu ferimentos.

O outro homem, de 53 anos, que estava na cinquentinha e não participava do racha, sofreu uma lesão grave e foi levado para o Hospital de Emergência de Arapiraca, onde se encontra internado há 47 dias.

“Cumpre ressaltar que era recorrente a prática de racha nesse trecho da rodovia, inclusive, o autor e a vítima desenvolviam uma velocidade média entre 120 e 140Km/h, quando aconteceu a tragédia, deixando um morto e dois feridos”, disse um policial civil do 62º DP.

O inquérito policial foi concluído na manhã desta quarta. Participaram das investigações equipes do 62º Distrito Policial (62º DP), de Craíbas, sob a coordenação do delegado Regional de Arapiraca, Guilherme Iusten e do gerente de Polícia Judiciária da Região 3, delegado Mário Jorge Barros.

A pena para o motociclista envolvido no caso pode chegar a 16 anos de prisão, uma vez que para o racha resultando em lesão grave, a pena é de 3 a 6 anos, enquanto o que resulta em morte a pena prevista é de 5 a 10 anos.

Fonte: Portal G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui