Estudo realizado pela American Automobile Association identificou que 15 milhões de americanos admitem ter dirigido sob efeito de maconha nos últimos 30 dias. Já as transportadoras americanas estimam em 300 mil caminhoneiros usuários de drogas, particularmente cocaína. No Brasil, a situação é ainda mais grave e está contando com uma poderosa arma tecnológica: o exame toxicológico de larga janela de detecção, conhecido como exame do cabelo, que identifica o usuário regular de drogas. A redução de acidentes de caminhão foi de 34% e com ônibus 45% após a exigência do exame para condutores das categorias C, D e E. Mas enquanto as transportadoras americanas querem utilizar cada vez mais o exame porque testaram 150 mil caminhoneiros e flagraram 10 vezes mais casos positivos que com outros testes, o governo brasileiro apresentou projeto para terminar com a obrigatoriedade do exame toxicológico. Ouça o comentário do Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto sobre o tema:

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui