DENUNCIADO: Caminhoneiro Jeferson Soares é denunciado por homicídio triplamente qualificado pela morte de Sandra Pereira e pelo tentativa de homicídio de Anderson Pereira, na BR-101, em 6 de março. Foto: Divulgação/PRF

De acordo com o Órgão, decisão levou em conta depoimento de testemunhas e investigações da polícia; condutor foi denunciado por tentativa de homicídio triplamente qualificado

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) denunciou o caminhoneiro gaúcho Jeferson Alves Soares, de 36 anos, que provocou o acidente (sinistro) na BR-101, arrastando por mais de 30 quilômetros uma motocicleta, no trecho entre Itajaí e Balneário Camboriú.

Segundo o MPSC, Soares foi denunciado por homicídio com dolo eventual de Sandra Aparecida Pereira, de 47 anos, e por tentativa de homicídio triplamente qualificado de Anderson Antônio Pereira, de 49 anos, marido de Sandra Pereira. Jeferson Soares continua preso no Presídio do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, em Santa Catarina.

De acordo com o MPSC, a denúncia foi feita em 10 de março pela promotora de Justiça Cristina Balceiro da Motta. O caminhoneiro já havia sido indiciado pela Polícia Civil por tentativa de homicídio.

Segundo a promotora, na denúncia o motorista do caminhão assumiu o risco (dolo eventual) “de matar qualquer das pessoas que cruzassem seu caminho” e acabou vitimando de fato a passageira da moto, Sandra Aparecida.

TRAGÉDIA: O casal Anderson e Sandra Pereira havia saído para um passeio com outro casal de amigos, quando a motocicleta em que estava foi atingida pela carreta, na BR-101, em SC. Sandra morreu no dia seguinte. Anderson teve ferimentos leves. Foto: Reprodução/Rede Sociais

“Consta nos autos os indícios de que o homem consumiu cocaína e rebite (derivado da anfetamina). Ele não dormia há dias, e assim agiu no intuito de terminar a viagem e entregar a carga em menos tempo. Então, ao agir dessa forma, assumiu o risco (dolo eventual) de matar qualquer das pessoas que cruzassem seu caminho. Além disso, há testemunhas que relataram que ele conduzia o caminhão em velocidade excessiva e de forma perigosa, o que corrobora o dolo eventual”, disse Motta.

Sobre a denúncia feita em relação ao motociclista Anderson Antonio Pereira, que ficou alguns minutos desacordado, após a moto ser atingida pela carreta, a promotora Motta disse que o caminhoneiro Jeferson Soares teve a intenção de matar a vítima. Na época, Anderson descreveu ao primo, Marcio Pereira, que o que havia acontecido com eles era como, um ‘filme de terror’.

“Além de arrastá-lo, ele ignorou os pedidos da vítima, para que parasse, dava socos e a empurrava com o intuito de jogá-la da carreta em movimento”, concluiu a promotora.

O Estradas entrou em contato com o MPSC para obter mais detalhes do processo. No início da tarde, o MPSC, por meio de sua coordenadoria de Comunicação Social, informou que a situação do processo 5005543-19.2021.8.24.0033 está “aguardando recebimento”.

Ainda de acordo com o MPSC, em sua última movimentação, em 19 de março, a promotora Cristina da Motta reiterou ao juiz o pedido de restituição do caminhão de placas INK 3983, formulado por Renan Silveira das Neves, proprietário do veículo.

Segundo Motta, os assistentes da acusação formularam tal pedido com o objetivo de
submeter o caminhão a uma segunda perícia. Em 16 de março, a promotora protocolou pedido ao juiz para que o proprietário do caminhão, Renan Silveira das Neves, fosse autorizado a retirar a carga do veículo.

Ainda segundo a promotora Motta, o Ministério Público requer, do mesmo modo, “seja admitida a acusação, prosseguindo-se nos demais termos do processo até a decisão de pronúncia e julgamento perante o Tribunal do Júri, fixando-se, ainda, valor mínimo para a
reparação dos prejuízos ocasionados pela infração à vítima sobrevivente“.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui