Considerada uma das maiores operadoras de logística da América Latina,  a JSL criou o programa Pela Vida que tem como foco principal acompanhar a saúde do caminhoneiro e dar dicas de segurança. Mais de 80 mil profissionais da estrada já foram atendidos no projeto desde seu início em 2011.

A JSL surgiu na década de 50 quando o português Júlio Simões trabalhava com transporte de hortifrutigranjeiros na região de Mogi das Cruzes em São Paulo.  Com o tempo focou no transporte de carga pesada. Atualmente, o grupo tem 200 filiais e opera em quatro países além do Brasil , faturou cerca de R$ 6 bilhões em 2014. São mais de 25 mil funcionários, sendo 5.600 motoristas de caminhão e 2.400 de ônibus, sem contar os agregados.

Como o fundador foi caminhoneiro, a empresa desenvolveu o programa intitulado Pela Vida  direcionado à saúde e segurança de motoristas profissionais de veículos pesados de carga e de passageiros, tendo como objetivo conscientizá-los sobre a importância de cuidados básicos de saúde para a melhoria da qualidade de vida. O trabalho tem como foco motoristas que não trabalham na empresa e foi desenvolvido junto com a Universidade de Mogi das Cruzes.

Para isso espalhou inicialmente seis trailers em postos de rodovia. Atualmente são 10 trailers localizados em pontos estratégicos de rodovias brasileiras.  O “Pela Vida” oferece atendimento gratuito de aferição de pressão arterial e acuidade visual, medição de IMC e circunferência abdominal.

PELA-VIDA

Durante os atendimentos, reforça a importância de cuidados básicos de saúde e alimentação e entrega um mapa de risco de acidentes das principais rodovias nacionais. Cada visita é monitorada e as informações registradas em um banco de dados. Os números computados permitem o contínuo acompanhamento dos motoristas em qualquer unidade, garantindo atendimento adequado às necessidades do participante.

Segundo o Diretor de Novos Negócios do grupo, Fábio Velloso,  desde que o programa teve início 80 mil caminhoneiros já foram atendidos no projeto.  Ele explica que o grupo tem a preocupação de valorizar os caminhoneiros. “É uma classe muito mal assistida.” Velloso lembra ainda que precisam ser mais valorizados inclusive porque são empresários. “Um caminhoneiro muitas vezes tem um patrimônio de R$ 1 milhão somente em carretas.”

Os dados dos exames realizados pelas equipes do Pela Vida são alarmantes. Comparando os anos de 2012 até 2014 o quadro de saúde desses profissionais vem piorando. O índice dos que apresentaram circunferência abdominal entre os níveis moderados a altíssimos de risco cardíaco registrado com os motoristas atendidos pulou de 64,6% para 77,2%. Obesidade também aumentou de 38,6% para 43,7%. Esse tipo de levantamento serve de alerta para as autoridades e reforça a importância de trabalhos como o “Pela Vida” para criar uma cultura de saúde e fazer um diagnóstico da situação.

TabelaProgramaPelaVida

Velloso explica que a iniciativa é vista com simpatia pelos motoristas e que até alguns clientes já pediram que deslocassem o trailer para atender os caminhoneiros que trabalham com eles.Além do atendimento na estrada, o Pela Vida da JSL também veicula vídeos no seu canal no Youtube, com temas que vão desde a manutenção dos veículos a importância de não dirigir cansado e parar a cada 4 horas de direção. O tema mais recente foi quanto a direção sob efeito de drogas e álcool. Você pode assistir o vídeo clicando aqui e conhecendo mais sobre essa boa iniciativa da JSL para os motoristas profissionais. Uma categoria fundamental para o desenvolvimento do país mas que é tão abandonada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui