FIM DO PEDÁGIO: O DER-PR ingressou na Justiça Federal com pedido de liminar em Ação Civil Pública para obrigar as concessionárias do Anel de Integração, exceto a Econorte, a implantarem canalização do tráfego e reforço de sinalização nas praças de pedágio, para garantir a passagem livre e segura dos usuários, a partir deste domingo (28). Foto: Rodrigo Félix Leal/SEIL

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), alteração têm como propósito garantir a segurança dos usuários

A partir de 0h deste domingo (28), as 27 praças de pedágio do Anel de Integração, no Paraná, deixam de cobrar as tarifas dos usuários, em decorrência do fim dos contratos de concessão.

Por conta disso, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), informou que cada praça receberá adaptações com vistas a garantir a passagem dos veículos com segurança, bem como evitar congestionamentos.

Segundo o Der, essas medidas incluem:

  • bloqueio das cancelas, que não serão mais utilizadas
  • retirada de equipamentos nas passagens, que ficarão liberadas
  • instalação de ampla sinalização informando e orientando o usuário quanto às novidades

Segundo o diretor-geral do DER-PR, Fernando Furiatti, os governos estadual e federal estão alinhados na questão, que é de grande importância para garantir a fluidez do tráfego de veículos e, principalmente, preservar a segurança dos usuários nessa transição. “Não vamos medir esforços para garantir que a canalização do tráfego seja realizada de modo tranquilo e ordenado, especialmente nos primeiros dias após o fim dos pedágios”, disse.

Canalização

De acordo com o DER, a alteração nas praças de pedágio é um dos procedimentos operacionais que teve seus trabalhos intensificados nos últimos 30 dias dos contratos de pedágio. As concessionárias têm ainda alguns serviços a serem realizados.

Segundo o DER, os contratos das concessionárias Econorte, Viapar e Ecocataratas terminam às 24h desta sexta-feira (26). Já os das empresas Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia serão encerrados às 24h de sábado (27). Portanto, a partir de 0h de domingo (28 de novembro) não haverá mais cobrança de tarifas nas rodovias do Anel de Integração.

Segundo o MInfra, as novas concessões devem entrar em vigor no segundo semestre de 2022, isso se não houver nenhuma surpresa.

Anel de Integração

O processo de concessão do Anel de Integração começou em 1996, quando foram firmados convênios de delegação para exploração de rodovias federais entre o Governo do Paraná e o governo federal, abrindo espaço para a licitação e assinatura dos contratos de concessões em 1997, divididos em seis lotes e com prazo de execução de 24 anos. Os mesmos foram modificados ao longo dos anos, com termos aditivos assinados em 1998, 2000, 2002, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018.

13 COMENTÁRIOS

  1. Foi adicionado aditivos, mais só favorável as concessões, imagina se íam aceitar mudar alguma coisa pra prejudicar eles, só elegemos raposa pra cuidar de nosso interesse, se vê a BR 101 de SC, parece outro país, pior que a gasolina, Brasil, Argentina..

    • O pedágio que vai baratear nos primeiros 2 anos, vai garantir a reeleição do Rato.
      Depois, sobe tudo… como sempre

      • Só se esse povo do Paraná estiverem loucos, esse rato nunca mais, nem que ele faça chover milagrosamente

  2. Também gostaria de saber como a rodovia 116 São Paulo / Paraná e 101 Paraná / Santa Catarina são bem mais em conta pra se rodar com veículos e as demais dentro do Paraná é essa fortuna qual a diferença ? Tem acabar com essa passada de mão no bolso do povo que está cansado disso pronto falei#

  3. Detalhe, a própria imprensa, fica preocupadíssima, dizendo como vamos fazer sem pedágio? Oras, do mesmo jeito que fazíamos a vida toda, sem pedágio nenhum. Isto é só uma maneira de encher o bolso de grandes Grupos Empresariais. E a duplicação até Londrina, como ficou? Vai valer a palavra do Min. Público?

  4. Culto do Lerner, não é porque morreu que virou santo, entregou na mão de empresas pra roubarem dentro da lei o povo do Paraná
    A propósito falam tanto da Dilma, mas a 101 e 116 foi concessão da Dilma PT, com preço justo

  5. O dinheiro do IPVA vai pro fundão partidário nós pra conseguir emprego temos que se ralar esses bandidos engravatados consegue a nossas custas

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui