PRECAUÇÃO: Erros e imprudências acontecem porque pilotar uma moto na estrada não é a mesma coisa que conduzir em uma via urbana. Pelo contrário, há diferenças fundamentais entre a rodovia e as ruas e avenidas. Fotos: Aderlei de Souza

De acordo com o Denatran, frota de motocicletas praticamente dobrou em uma década, passando de 14.695.247 em 2009 para 28.179.083 motos em 2019

A frota brasileira de motocicletas praticamente dobrou em uma década, passando de 14.695.247 em 2009 para 28.179.083 motos em 2019. Ou seja, o número de motos nas estradas e ruas do Brasil cresceu 92%, de acordo com os dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Muitos desses condutores são motociclistas novatos com pouca experiência e não recebem orientação para andar de moto em estradas e rodovias. Por isso, muitas vezes, se colocam em situações de risco ao executar manobras perigosas nas rodovias.

Muitos desses erros e imprudências acontecem porque pilotar uma moto na estrada não é a mesma coisa que conduzir em uma via urbana. Pelo contrário. Há diferenças fundamentais entre a estrada e as ruas e avenidas.

Alguns fatores, como velocidade maior em relação ao ambiente urbano e o tráfego de veículos pesados, como caminhões e carretas, requerem que o motociclista adote o comportamento seguro e antecipe eventuais situações de risco e, assim, possa evitar acidentes, alerta o coordenador de tráfego da AutoBAn, João Moacir da Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui