DADOS: Relatório divulgado pelo Seguro DPVAT referente a 2020 aponta que, das indenizações pagas, 15% das ocorrências foram registradas das 6h às 8h; e 21%, das 17h às 19h. Foto: Divulgação/CART

De acordo com a concessionária CART, amanhecer e entardecer são períodos mais desfavoráveis à visibilidade no trânsito

A incômoda experiência de dirigir contra a luz do sol é um desafio para o condutor que precisa visualizar o fluxo rodoviário e as placas de sinalização. O amanhecer ou entardecer, quando a posição do sol está mais perto da linha do horizonte, são, estatisticamente, períodos em que há maior propensão a acidentes.

Relatório divulgado pelo Seguro DPVAT referente a 2020 aponta que, das indenizações pagas, 15% das ocorrências foram registradas das 6h às 8h; e 21%, das 17h às 19h.

Para uma direção segura nestes períodos, a concessionária CART dá dicas de como notar e ser notado em trânsito. Manter os faróis baixos ligados durante o dia facilita a visualização do veículo por outros motoristas. Se a luminosidade do sol estiver muito forte, outra dica é usar o quebra-sol e óculos escuros. Reduzir a velocidade também pode ajudar a evitar colisões.

“Se for possível, o ideal é programar a viagem para outros horários. O motorista que dirige nestas condições deve guardar objetos que possam refletir a luz do sol no interior do veículo. Para maior eficiência do quebra-sol, pode ser necessário ajustar também a altura do banco. Outra medida importante é cuidar do para-brisa para que ele esteja sempre em boas condições de manutenção e de limpeza e não atrapalhe a visibilidade ao dirigir”, orienta Luis Santos, gerente de Operações da CART.

A visão é um dos principais sentidos que utilizamos na direção de um veículo. Observar a sinalização de trânsito, ter a percepção de espaço, distância, profundidade e a capacidade de discernir cores e objetos dentro do campo visual são características fundamentais para que uma pessoa seja apta a dirigir.

É por este motivo que a saúde dos olhos deve estar em dia e os motoristas devem realizar exames periodicamente para checar a acuidade visual, grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais e  a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.

De acordo com a ABRAMET – Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, depois da primeira habilitação, o motorista deve refazer os exames médicos – incluindo o de visão – a cada cinco anos, no momento da renovação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Porém, o ideal é realizar um exame oftalmológico anual, principalmente, após os 40 anos quando há a redução da visão por consequência da idade.

Óculos fazem a diferença

Proteger os olhos dos raios solares, além de aumentar a segurança no trânsito, previne problemas na retina. E a escolha dos óculos ideais são outro ponto importante. Os mais indicados por oftalmologistas são aqueles que contêm proteção UV, capazes de filtrar totalmente a radiação.

De acordo com a ABRAMET, o uso das lentes fotossensíveis, que escurecem e clareiam conforme a luminosidade, auxilia o motorista a dirigir nestas condições.

Cada coloração das lentes traz um benefício diferente. Lentes cinzas, por exemplo, reduzem o brilho e não distorcem as cores. As de tons marrom dão mais conforto a quem sofre de miopia e hipermetropia, além de prevenir a catarata. Já as verdes são mais indicadas para pessoas acima dos 60 anos, pois melhoram a visão de contraste e as amarelas reduzem a visão de contraste nas horas de maior luminosidade.

Confira algumas dicas para manter a saúde dos olhos:

  • Consulte um oftalmologista periodicamente
  • Faça uma alimentação balanceada
  • Mantenha um peso saudável
  • Pare de fumar e beber
  • Use óculos de sol com proteção ultravioleta
  • Evite ficar muito tempo na frente do computador, tabletes ou celular
  • Evite colocar as mãos nos olhos
  • Higienize corretamente suas lentes de contato

Fonte: Assessoria de imprensa da CART

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui