A Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobrevoou uma das rodovias federais mais movimentadas do país, a BR-163, na última quinta-feira (22), o helicóptero saiu da cidade de Campo Grande e sobrevoou até São Gabriel do Oeste, com o objetivo de filmar o comportamento e as imprudências cometidas pelos motoristas de caminhão e veículos de passeio ao longo da rodovia.

Segundo o policial Mariano, a ação tem o objetivo de mostrar para a sociedade como os condutores estão sendo imprudentes nas rodovias federais, como foi o caso de um caminhoneiro que gravou suas próprias imprudências e acabou se envolvendo em um acidente na BR-163 próximo a São Gabriel, e assim fazer com que a sociedade veja o vídeo que foi mostrado pelo Fantástico no último domingo (25), e reflita que a forma imprudente dos motoristas se comportarem, são as causas dos acidentes nas rodovias.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Baggio, faz uma alerta para os motoristas que passam pelas rodovias federais todos os dias, sobre o uso dos radares móveis pela PRF para a fiscalização do trânsito nas rodovias, que foi liberada através de uma resolução, 396 pelo Conselho Nacional de Trânasito (Conatran) no último dia 22 de dezembro.

Segundo Baggio, 25 radares móveis e dois radares fotógrafos estão espalhados pelas rodovias federais e a diferença desses radares, é que não tem a placa avisando o local em que ele está localizado, o que provavelmente multiplicará o número de autuações em cinco. As multas obtidas através dos radares variam de R$ 80 a R$ 540 dependendo da infração cometida pelos motoristas.

Para Baggio o uso desses radares fará com que os motoristas diminuam a velocidade, respeitando os limites permitidos das vias, que são de 100 quilômetros para veículos de passeio e 80 quilômetros para caminhões e ainda fará com que eles fiquem mais atentos e conscientes durante as suas viagens o que resultará na redução dos acidentes que continuam com um número elevado. Segundo dados da PRF, só em 2011 foram mais de 300 mil acidentes ocorridos nos trechos das rodovias federais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui