Na manha desta quinta-feira, agentes da Polícia Rodoviária Federal em Ipixuna do Pará flagraram um caminhão transportando “ Sucata de Escória”, tipo “ Brita” com cerca de 49.620 quilos de excesso de peso. A quantidade de material transportado, avaliado em mais de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) era bastante superior ao que havia sido declarada nos documentos fiscais.

O flagrante ocorreu no quilômetro 229 da BR-010 , durante fiscalização realizada em um caminhão Volvo FH 440 6x4T, de placa NTB 8882. Durante averiguações, o condutor Cazuza Castro de Sousa., 43 anos de idade afirmou que a carga foi embarcada em uma fábrica de cimento na cidade de Capanema e seguiria para uma siderúrgica na cidade de Marabá/PA.
Ao solicitarem a documentação referente ao transporte da carga, os agentes da PRF observaram que o condutor do veículo, tentou esconder uma das Notas Fiscais, entregando apenas algumas notas que se encontravam dentro do caminhão.

Os policiais solicitaram novamente todas as notas fiscais e alertaram o condutor das possíveis consequências legais para a negação da entrega, tendo então o condutor prontamente entregue o restante da documentação. De posse da documentação, os agentes da PRF realizaram a medição da carga onde comprovaram a suspeita de excesso de peso, constatando um excesso de 48.340 kg no Peso Bruto da Tara do veículo, cujo veículo apenas tinha por limite legal 57.000 kg e estava trafegando com um total de 105.340 quilos, ou seja, o dobro da sua capacidade. Além disso, houve também excesso de 5.340 quilos na Capacidade Máxima de Tração-CMT em que seu limite legal era de 100.000 quilos.

Caminhões com excesso de peso além de causarem vários danos ao pavimento da rodovia, colocam em risco a vida dos demais condutores, pois o excesso de carga, interfere no controle da boa dirigibilidade do veículo, dificultando por exemplo, uma frenagem para evitar um acidente. Foram aplicadas as infrações previstas no Código de Trânsito Brasileiro por conduzir veículo com excesso de peso, veículo e carga ficaram retidos no posto da PRF para realizar o transbordo da carga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui