SELECIONADO: Goinfra tem projeto Fiscalização de Obras Rodoviárias (FOR) selecionado para concorrer ao 1º Prêmio de Boas Práticas do Brasil Central. Ilustração: Divulgação

De acordo com a Agência, sistema FOR foi desenvolvido por servidores para atender às demandas de manutenção da malha viária goiana

O projeto Fiscalização de Obras Rodoviárias (FOR), desenvolvido pela Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), foi selecionado para concorrer ao 1º Prêmio de Boas Práticas do Brasil Central.

De acordo com a Agência, o concurso foi criado pelo Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central e tem como objetivo promover projetos relevantes e também de realizar intercâmbio tecnológico entre os estados consorciados.

Ainda conforme informações da Goinfra, serão contemplados projetos nas áreas de desenvolvimento econômico, educação, gestão pública, infraestrutura e logística, saúde pública e segurança pública.

De acordo com o presidente da Goinfra, Pedro Sales, só o fato do FOR ter sido previamente selecionado já demonstra um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo corpo técnico da agência. “É um programa que tem nos ajudado bastante na melhoria dos controles e acompanhamento das informações do campo. Minha expectativa é de que será um dos projetos vencedores do concurso”, avalia.

Segundo o presidente, a próxima fase da premiação está prevista para o dia 27 de novembro, no Maranhão, durante o Fórum de Governadores do Brasil Central que tem como consorciados os estados de Goiás, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins.

Projeto

O sistema FOR é um programa de fiscalização de obras e serviços de manutenção rodoviária que inclui uma solução computacional customizada para atender as demandas da Goinfra de forma rápida, segura e precisa com as informações referentes à manutenção das rodovias estaduais.

O diretor de Planejamento, Estudos e Projetos de Obras da Goinfra, Riumar dos Santos, destaca que a ferramenta traz ganhos inestimáveis para a área de planejamento. “Com ele, temos vantagens importantes como agilidade, facilidade, precisão e segurança. São detalhes que fazem a diferença quando se trata de conservação de vias rodoviárias”, afirma.

Antes da implantação do FOR, as vistorias de acompanhamento e de medição dos serviços de manutenção eram feitas manualmente pelos fiscais, o que dificultava a padronização e a precisão dos dados coletados, além de gerar dificuldades na gestão e no acesso às informações.

As informações coletadas permite ao órgão criar planos de ação para a execução de serviços na malha viária estadual. É possível também o acesso aos dados armazenados no servidor para a geração de relatórios técnicos de medição e acompanhamento, entre outros.

Os dados do sistema alimentam, ainda, painéis de indicadores atualizados em tempo real, que servem para agilizar a tomada de decisão, auxiliando no planejamento dos serviços de manutenção e na gestão das empresas responsáveis pela execução das obras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui