SP-333 será a primeira rodovia no interior paulista a ter sistema free flow
FREE FLOW EM SP: Rodovia SP-333 será a primeira no interior paulista a ter sistema free flow. Foto: Divulgação/Econoroeste

Trecho a receber a nova tecnologia fica entre as cidade de Itápolis (SP) e Jaboticabal (SP). Há dois anos, Ecopistas iniciou testes com essa tecnologia na SP-070

No início do segundo semestre deste ano, os veículos que passarem pela SP-333 (rodovias Carlos Tonani, Nemésio Cadetti e Laurentino Mascari), entre Itápolis (SP) e Jaboticabal (SP), vão pagar a tarifa de pedágio pelo sistema free flow.

De acordo com a concessionária responsável pelas rodovias, a implantação dessa modalidade de pagamento está prevista no contrato de concessão entre a concessionária EcoNoroeste e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), que prevê a substituição de todas as praças de pedágio dessa concessão por pórticos de cobrança.

Ainda segundo a empresa, a implantação será gradual até o 7º ano da concessão. Essas duas primeiras praças poderiam ser substituídas até 2025, porém, a empresa iniciará a operação antecipadamente. “Será o primeiro free flow em operação efetiva entre as concessionárias da EcoRodovias. Como o grupo sempre buscou antecipar tendências, já tínhamos feito alguns testes que exigiram toda a estruturação desse tipo de projeto, desde a aquisição de equipamentos até a operação de forma experimental. Essa cultura do grupo viabilizou a antecipação do nosso compromisso aqui na SP-333”, explica o diretor-geral da EcoNoroeste, Rui Klein.

O sistema free flow já é realidade na Rodovia Rio-Santos (BR-101), no trecho do Rio de Janeiro, desde 31/3/23, nos municípios de Itaguaí (RJ), Mangaratiba (RJ) e Paraty (RJ).

Primeira experiência

Voltando ao free flow, os pórticos já estão sendo instalados pela Econoroeste na SP-333, no noroeste paulista. Mas essa não é a primeira experiência da EcoRodovias com o modelo de pedágio eletrônico que, apenas recentemente, passou a ser adotado no país.

A Ecopistas, responsável pela rodovias Ayrton Senna da Silva e Carvalho Pinto (SP-070), também em São Paulo, implantou um pórtico que funciona como projeto piloto, sem cobrança de tarifa, desde 2022.

O sistema free flow traz mais segurança, fluidez e conforto para os usuários, já que a cobrança da tarifa é realizada por meio de pórticos, que substituem os pedágios convencionais, equipados com câmeras, sensores e antenas capazes de identificar todos os tipos de veículos pela placa ou TAG, além de especificações como altura, largura, comprimento e quantidade de eixos.

Os usuários do trecho que já possuem TAGs ativas não precisam se preocupar. O veículo será identificado nos pórticos, automaticamente, da mesma forma que acontece nas pistas automáticas das cabines atuais.

Já àqueles que ainda não utilizam o sistema deverão fazer o pagamento em até 15 dias após a passagem pelo pórtico em um dos canais oferecidos pela concessionária, como: site (freeflow.econoroeste.com.br), aplicativo de celular, totem de autoatendimento nos postos SAUs das rodovias ou pelo WhatsApp (0800 326 3663).

A falta de pagamento no prazo pode acarretar multa e perda de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Funcionamento do free flow

Os pórticos possuem câmeras, sensores e antenas que identificam cada veículo por meio da leitura de sua placa ou TAG, operando, inclusive, em condições de baixa visibilidade. Essa tecnologia é capaz de identificar os veículos e os categorizar conforme a altura, largura, comprimento e quantidade de eixos rodantes, para fazer a dupla checagem com as placas e TAGs identificados.

Como é feita a cobrança

Para os veículos com TAG, o valor é cobrado, automaticamente, pela operadora contratada. Já aqueles que não possuem, precisam efetuar o pagamento em até 15 dias nos canais disponibilizados pela concessionária.

Segundo a concessionária, as praças de pedágio que terão o free flow, no início do segundo semestre de 2024, são:

  • Km 179 da SP-333, em Itápolis (SP), pista sentido Leste
  • Km 110, da SP-333, em Jaboticabal (SP), pista sentido Oeste

Ponto a Ponto

Mas esse sistema no qual não existe barreira física nem arrecadador não é novidade como se imagina. Em 2012, o governo de São Paulo colocou em operação o sistema Ponto a Ponto (PaP), em quatro rodovias estaduais (ver abaixo), que tem o mesmo princípio, mas com algumas diferenças. A principal delas é a abrangência.

Enquanto o free flow foi colocado em operação para ser mais acessível, no qual todas pessoas possam usá-lo quando estiver funcionando plenamente, o PaP é um sistema operado por algumas concessionárias de rodovias para atender a grupos de pessoas específicos que passam com frequência por determinadas regiões.

Até hoje, 12 anos depois, o PaP continua sendo uma alternativa que funciona em São Paulo. Caso um usuário utilize diariamente um determinado trecho com pedágios ele poderá ser candidato a ter uma identificação especial e passar a ser cobrado por quilômetro rodado.

Veja mais sobre o PaP, clicando aqui

Rodovias com o sistema Ponto a Ponto:

  • Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), entre Jundiaí (SP) e Itatiba (SP);
  • Santos Dumont (SP-075), em Indaiatuba (SP);
  • Governador Adhemar Pereira de Barros (SP-340), entre Campinas (SP), Jaguariúna (SP) e Mogi Guaçu (SP);
  • Prof. Zeferino Vaz (SP-332), em Paulínia (SP), Cosmópolis (SP), Artur Nogueira (SP), Engenheiro Coelho (SP) e Conchal (SP).
SP-333 será a primeira rodovia paulista a ter sistema free flow, no interior
ADHEMAR DE BARROS: Km 147 da SP-340, entre Jaguariúna e Mogi Guaçu, com o sistema PaP. Foto: Aderlei de Souza

Mais informações no site da concessionária e por meio do telefone 0800 326 3663.

Deixe um comentário

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui