ULYSSES CARRARO – Novembro de 2003

Quando Diretor de Procedimentos e Logística da Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo).

PRIORIDADE É PLANO DIRETOR DE TRANSPORTES

Segundo Ulysses Carraro, Diretor de Procedimentos e Logística da Artesp, uma das prioridades da agência é a implantação do Plano Diretor de Transportes Coletivos de Passageiros que está em fase final de estudo e será submetido ao Governador Geraldo Alckmin provavelmente ainda este ano.

“O Estado de São Paulo possui um elevado padrão na prestação de serviço de transporte rodoviário de passageiros, entretanto, pode melhorar.”, afirma Carraro.

Segundo informou, o objetivo é estabelecer um padrão mínimo de qualidade para cada patamar de serviço (econõmico, executivo, leito).

O Plano prevê modernizar o sistema de licitação de linhas, principalmente com a criação de pólos.”As linhas foram crescendo aleatóriamente, foram sendo prolongadas e há viagens com até 15 paradas, entrando em várias cidades.”, lembra Carraro. Pelo estudo da Artesp o ideal é criar pólos rodoviários, fazendo com que as empresas de linhas secundárias sigam para os pólos e dali partirão linhas para os centros mais importantes do Estado.

Outro assunto em estudo é quanto as linhas denominadas paradoras, em que são previstas paradas no trajeto para descanso e alimentação do motorista e passageiros e as linhas expressas, sem parada no caminho. Nesse sentido, Carraro informou que está sendo realizada uma experiência no trecho São Paulo- Ribeirão Preto, numa viagem de 3h20min, com ônibus com ar condicionado, televisão a bordo e maior espaço entre poltronas. “Estamos avaliando e já solicitamos apoio para analisarmos as consequências na saúde dos passageiros e do motorista”, reforça o diretor da Artesp.

Com a criação dos pólos haverá sempre concorrência para evitar que ocorram distorções como um mesmo grupo controlar empresas diferentes que operam na mesma linha. “Haverá sempre uma empresa espelho”.

Haverá limite de horas que o ônibus poderá fazer a viagem sem parar e também será levada em consideração a distância. Linhas com até 150km provavelmente poderão ser feitas sem parada obrigatória. Os pontos de parada também terão que atender exigências que vão desde condições de higiene até obrigatoriedade de acesso facilitado para deficientes físicos.

“Nossa preocupação é com o passageiro. Estamos trabalhando para trazer os passageiros de volta. Nesses últimos anos houve uma queda de 40% na demanda.”, diz Carraro. Para reconquistar esse mercado é preciso investir em qualidade do serviço de transporte, nas condições das rodovias e nos pontos de parada.”, enfatizou.

O executivo da Artesp esclarece que as empresas terão que buscar certificados de qualidade como ISO 9000 e ISO 14000, demonstrar uma política concreta de preservação do meio ambiente, investir ainda mais no treinamento dos motoristas, na qualidade do equipamento e atendimento.

Carraro reconhece que a ARTESP é ainda pouco conhecida. “Cometemos alguns erros de comunicação e não ficou claro quem faz o quê.”. Agora, a ARTESP será mais divulgada com folhetos, 0800 e informações sobre os canais de comunicação com o público, como é o caso da ouvidoria.

No caso de concessões de rodovias, Carraro admitiu que os usuários ainda conhecem pouco seus direitos e acatou a sugestão de incluir os contratos de concessão on line no site da Artesp, de forma a permitir que o cidadão acompanhe melhor o processo de concessão e possa auxiliar a Artesp na sua tarefa de fiscalizar as concessões.

Mais informações sobre a agência podem ser obtidas através do www.artesp.sp.gov.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui