Campos do Jordão está pronta para receber os turistas de diversas partes do Brasil e do Mundo, nessa temporada de inverno 2019. Foto: Divulgação/Paulo Pinto

A temporada de inverno está batendo à porta e os festivais de música em Campos do Jordão e Monte Verde são algumas atrações para se aquecer, além, é claro, das lareiras, fondues, chocolates quentes, vinhos e queijos

O inverno pode não ter chegado oficialmente, mas o friozinho já tem dado o ar da graça nesses últimos dias. Pensando nisso, o Estradas traz sugestões de dois destinos bem procurados e ideais para se aquecer nesse agradável período do ano: Campos do Jordão, no alto da Serra da Mantiqueira, no Vale do Paraíba, em São Paulo, e Monte Verde, na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais.

CINQUENTENÁRIO: Campos do Jordão já está no clima da grande festa que promete acontecer por conta dos 50 anos do Festival de Inverno Internacional da cidade. Além da programação erudita, os turistas terão programação repleta de atrações para todos os gostos e tamanhos. Foto: Divulgação

Além das tentações gastronômicas, as duas cidades localizadas na parte alta da Serra da Mantiqueira mantêm-se como destinos favoritos no inverno por conta de seus festivais de inverno.

Neste ano, Campos do Jordão celebra a 50ª edição do Festival Internacional de Inverno, que acontecerá entre os dias 29 deste mês e 28 de julho. Veja a programação completa, clicando aqui.

CONVITE: Inverno em Monte Verde deve ficar próximo dos 10º C, neste mês, segundo informações meteorológicas.

Localizada a 1 628 metros acima do nível do mar, é o município mais alto do Brasil. As temperaturas que chegam a -5ºC nos meses de junho e julho atraem turistas de várias regiões do Brasil e do mundo que são apaixonados pelas baixas temperaturas.

Destino romântico

A agradável e concorrida Campos do Jordão continua sendo um destino romântico no inverno, onde os vinhos, os chocolates e a gastronomia têm papel fundamental, além do céu estrelado.

Por conta da fama de destino ideal para a Lua de Mel, Campos do Jordão ganhou diversas pousadas charmosas. Atualmente, são mais de 500, sendo algumas inusitadas como a Café Poesia, toda construída com containers e a Piano Piano, pousada temática para os amantes da música, ou a Vila Amistá toda em vidro com destaque na gastronomia e outras românticas com banheiras de hidromassagem que dão vista para imensidão da serra.

Hotéis com o acolhimento de pousadas como Hotel Frontenac que é a tradução brasileira de um pequeno hotel de luxo europeu e a Dreams, construída como casa familiar em terreno de aproximadamente 15.000 m² e a 1.760 metros de altitude, está num bosque nativo e conta com apenas cinco suítes, amplas, com muito
luxo.

Requinte e tentações gastronômicas em Monte Verde

Assim como Campos do Jordão, a vilinha com apenas uma avenida principal e ruas transversais de terra chamada Monte Verde, no distrito de Camanducaia (MG), é também reduto de casais apaixonados e destino certo neste inverno.

Abraçada pela Serra da Mantiqueira e pelo o ar puro das montanhas, Monte Verde é permeada por araucárias, pinheiros, cedros, carvalhos, ipês e multicoloridas espécies de flores. É ainda conhecida pelo clima frio e baixas temperaturas. Não à toa.

Entre os dias 29 deste mês e 27 de julho, a cidade promove a sétima edição do Festival de Inverno, que terá novas atrações espalhadas por vários espaços da Vila. As atividades serão abertas a todo o público presente. Informações sobre o Festival de inverno, clique aqui.

Situada a quase 1.600 m de altitude, em um dos pontos mais altos da Mantiqueira, registra no Inverno temperaturas de até -4º C, com bucólicas geadas. O frio, porém, imprime um charme a mais à vila, que se torna em um Point de desfile de gente bonita e de casais que buscam momentos de romantismo. E são muitos.

Basta ver que, embora pequenina, a estância abriga aproximadamente 200 hotéis, pousadas e chalés, a maioria deles com direito a hidromassagem, lareira e, é claro, a muita natureza. É delicioso. E também bastante pitoresco.

Além disso, Monte Verde tem dezenas de restaurantes que oferecem o Eisbein, prato alemão à base de joelho de porco, como carro-chefe. Para acompanhar, a cerveja artesanal produzida nos moldes da alemã – abriga inclusive uma fábrica da bebida, a Arsenal da Cerveja.

De sobremesa, não falta nas elegantes casas de chá e chocolatarias da estância o Apfelstrudel (strudel), a torta de maça cuja receita é atribuída aos alemães, mas que acredita-se ter sido inventada pelos austríacos. Pelo distrito espalham-se ainda restaurantes e cantinas que servem o melhor da gastronomia italiana e portuguesa.

Em terra de águas frias também não faltam as trutas. E elas surgem nos cardápios dos restaurantes em diferentes versões: grelhadas, assadas e em filés, com os mais variados acompanhamentos. São servidas também com exóticos molhos, como os de amêndoas, de alcaparras e até os que levam queijos e aveia.

Os costumes trazidos pelos primeiros moradores, a família Grinberg, e demais imigrantes europeus estão impressos nas ruas e na área rural de Monte Verde. Mas nelas também estão fortemente presentes o “jeitim” mineiro de receber os visitantes, com simpatia e hospitalidade sem limites.

Em qualquer uma de suas lojas de doces caseiros, compotas e geleias, queijos, embutidos e vinhos, mortal algum do planeta vai embora se não provar um “tiquim”, ter um “dedim” de prosa e receber um acolhedor sorriso.

Em todos os cantinhos do distrito, porém, são oferecidas opções para diferentes paladares, incluindo para quem aprecia a culinária mineira.

Na Avenida Monte Verde, principal da vila e onde se concentra o comércio, também se multiplicam as chocolatarias, que servem desde sofisticadas bebidas preparadas à base de cacau até artesanais trufas, bombons, tabletes e chocolates dietéticos.

É impossível controlar a balança neste sedutor vilarejo e não saborear suas delícias. Para quem tenta, uma dica para gastar as calorias adquiridas: Monte Verde tem diversas agências que oferecem passeios de cavalo, bike, jipe, quadriciclo e caminhadas pela Mantiqueira, além de aventuras radicais e de patinação no gelo.

Tentações gastronômicas e artesanato exclusivo

Restaurante Villa Amarela – Além dos risotos, massas, carnes e demais pratos inspirados na gastronomia da região italiana a casa oferece uma das vistas mais bonitas das montanhas de Monte Verde – está situada em um dos pontos mais nobres da estância, bem pertinho da entrada da cidade, Experimente as sopas cremosas servidas na Panhota. Informações: www.villaamarela.com.br e (35) 3438-2460.

Casa do Fondue – tem um cardápio variado integrado por um dos melhores fondues. Experimente o que serve carnes, queijos, chocolates e doce de leite. Duvido que você não saia de lá satisfeito e com vontade de voltar o mais rápido possível. Informações: www.casadofondue.com.br e (35) 3438-2083.

Paulo das Trutas  Tem um trutário, onde “pesca” os peixes servidos em seus dois endereços: o restaurante da Rua da Floresta, 810, onde faz a criação de trutas. A outra casa funciona na Av. das Montanhas, 120. Informações: www.paulodastrutas.com.br

Chocolate Montanhês – É uma extensão da de Campos de Jordão (SP), onde a marca nasceu. Seu chocolate quente recentemente ganhou o prêmio da Veja São Paulo como o melhor da região. Av. Monte Verde, 969, loja B. Informações: www.chocolatemontanhes.com.br e (35) 3438-1782.

Ateliê Unger’s Pottery House – A galeria também faz parte dos tours oferecidos pelas agências locais.  Obras de arte e totens de Paula Unger podem ser vistos nos jardins da linda propriedade. No interior também estão expostas peças de cerâmica, esculturas e pinturas de artistas brasileiros. Rua da Represa, 1.307. Informações: www.paulaunger.blogspot.com e (35) 3438-1470.

Mirante do aeroporto – É outra parada que integra o city tour das agências locais. A estrada que passa ao lado do aeroporto oferece uma vista cênica da estância, com direito a admirar as casas em estilo europeu e as montanhas da Mantiqueira.

SERVIÇO:

Hotel Home Green Home – Campos do Jordão

Há também hotéis como o Home Green Home, situado em um imponente edifício em estilo normando, a 1.850 metros de altitude, que lembra um Castelo, que oferece acomodações confortáveis e uma vista panorâmica para algumas das principais atrações da cidade, como o Palácio Boa Vista, residência de inverno do governo paulista e a majestosa Pedra do Baú.

Imponente por fora, o interior do Home Green Home é bastante aconchegante com quartos amplos e bem equipados para receber – e muito bem – seus hóspedes. As suítes são dúplex e planas, todas com cama de casal double-twin, e oferecem vista para a Serra da Mantiqueira ou pátio interno do hotel, além de itens de conforto e comodidade, como lareira, TV a cabo, internet banda larga com wi-fi, lençol térmico, secador de cabelo, aquecimento central, e uma mini copa com pia, frigobar e micro-ondas. Informações: www.homegreenhome.com.br e 0800-170127 / (12) 3669-0300
e (12) 99621-9592.

Pousada Pedras e Sonhos – Monte Verde

O empreendimento hoteleiro mais inovador de Monte Verde inicia novo processo de operação nesse inverno. Localizado na rua Esmeralda, a Pousada Pedras e Sonhos convida os visitantes a vivenciar e conviver numa das áreas mais preservadas do Distrito.

A propriedade é cercada por enorme área preservada a pousada cultiva o melhor do campo, com fontes de água mineral e uma das mais espetaculares vistas dos seus cinco chalés decorados no estilo minimalista, com hidromassagem, cromoterapia, persianas automáticas e black- out total para um sono reparador. Frigobar silencioso, lareira, TV a cabo, aquecimento central, isolamento térmico-acústico.

Na propriedade, jardim de inverno panorâmico, trilhas pela Mata Atlântica, e a exclusivíssima casa da Pedra, com trilha e bosque privativo. Deck para pequenos eventos e o restaurante Café com Arte, que serve café da manhã em estilo colonial e cardápio internacional.

Diárias a partir de R$ 850,00 o casal. As tarifas são flutuantes. A rua de acesso é totalmente asfaltada e está a cinco minutos da área central da cidade, permitindo ao visitante tranquilidade e exclusividade. Informações e reservas: (35) 3438-1388 e www.pousadapedrasesonhos.com.br

Como chegar

De São Paulo a Campos do Jordão: o principal acesso para Campos do Jordão é a SP-123, que inicia no entroncamento da Rodovia Carvalho Pinto/Ayrton Senna (SP-070), na altura do km 118, da Rodovia Presidente Dutra (BR-116).

Esse entroncamento fica no subdistrito de Quiririm, entre Taubaté e Caçapava. A rodovia Oswaldo Cruz (SP-123) também pode ser acessada através de estradas municipais que saem de Roseira, SP-62 (km 82 da Via Dutra), ou atravessando a cidade de Pindamonhangaba (km 98 da Via Dutra).

Como via alternativa, a SP-50 constitui-se em atração turística, atravessando belas áreas rurais, lugarejos típicos da região serrana e a cidade de Monteiro Lobato. Esta estrada tem entroncamento com a SP-42, que a liga à Estância de São Bento do Sapucaí (SP) e ao sul de Minas Gerais (através da MG-295). A MG-295 tem entroncamento com a Rodovia Fernão Dias, na cidade de Pouso Alegre (MG).

Pedágios

O trajeto conta com três pedágios para quem sai de São Paulo pela Via Dutra (BR-116), sendo no km 204 (Arujá), no km 182 (Guararema) e no km 165 (Jacareí), com valores de R$ 3,70, nas duas primeiras praças e R$ 6,70 na de Jacareí, pagos na ida e na volta. Já pela Ayrton Senna/Carvalho Pinto (SP-070), há quatro praças localizadas no km 33 (Itaquaquecetuba), km 58 (Guararema), km 92 (Jacareí) e km 114(Caçapava), com valores de R$ 3,70 em Itaquaquecetuba e R$ 3,50 nas demais praças, na ida e na volta.

De São Paulo a Monte Verde: siga em direção a Guarulhos (SP) pela Via Dutra. Na altura do km 13, entre na Rodovia Fernão Dias até Camanducaia.

Saindo do Rio de Janeiro: pegue a Via Dutra até Jacareí (SP), entre na Rodovia D. Pedro I. Em Atibaia (SP), entre à direita na Rodovia Fernão Dias, continuando até Camanducaia.

De Belo Horizonte (MG) para Monte Verde: saída pela Avenida Amazonas, sentido São Paulo, até Camanducaia.

Pedágios

Há dois pedágios para quem sai de São Paulo pela Rodovia Fernão Dias (BR-381), um no km 65, em Mairiporã (SP) e outro no km 7, em Extrema (MG). Ambos com cobram R$ 2,40 na ida e na volta.

Embora não tenha uma rodoviária, o transporte público é uma alternativa para quem quer ir até Monte Verde. Existem linhas diretas entre São Paulo e Camanducaia, em um percurso de pouco mais de duas horas. De Camanducaia ao distrito, há vários horários disponíveis durante o dia, com a duração da viagem estimada em 50 minutos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui