PERIGO: Acidentes com vítimas na BR-163, no Mato Grosso, representam 50% das ocorrências, de acordo com a concessionária Rota do Oeste. Foto: Divulgação/Ilustrativa

De acordo com a concessionária Rota do Oeste, levantamento foi feito entre 1º de janeiro e 30 de abril deste ano

Embora tenham participação inferior a 2% no fluxo de veículos que percorrem a BR-163, no Mato Grosso, as motocicletas estão envolvidas em 50% dos acidentes com vítimas registrados pela concessionária Rota do Oeste.

De acordo com a empresa, os dados são referentes ao período de 1º de janeiro a 30 de abril deste ano, quando as equipes médicas atenderam 204 acidentes envolvendo este tipo de veículo.

Ainda de acordo com o levantamento, os registros com vítimas mais frequentes envolvendo motocicleta são as quedas (34%), colisões transversais (22%), laterais (14%) e traseiras (11%). Entre os principais fatores que levam a este cenário estão: imprudência, desrespeito à sinalização e às leis de trânsito, inabilitação para conduzir o tipo de veículo, desconsideração do risco existente na rodovia, uso inadequado ou inexistente de equipamentos de proteção individual, como, por exemplo, o capacete.

Segundo o gerente de Operações da concessionária, Wilson Ferreira, apesar de a motocicleta ser o tipo de veículo que menos percorre longos trechos da BR-163, elas estão presentes nas travessias urbanas e vias marginais. “Os motociclistas estão muito presentes na área urbana, nos pontos de comunicação entre municípios e rodovia. Muitas vezes, esse condutor está acostumado com o tráfego das ruas da cidade e despreza os riscos existentes em uma rodovia”.

Principais vítimas

Além disso, o alto número de vítimas é reflexo da própria estrutura da motocicleta, que deixa condutor e passageiro totalmente expostos, favorece esse resultado. “Nosso levantamento demonstra que, este ano, os ocupantes de motocicletas saíram ilesos somente em 19% dos acidentes. O restante, 81% dos casos, terminou com feridos e a necessidade de encaminhamento médico pelas equipes de resgate da Concessionária”, explica.

No caso específico da BR-163, há ainda a particularidade em relação ao movimento intenso de veículos de carga, que predomina no fluxo. Esse cenário aliado à velocidade exige ainda muito mais cautela. “Todos que estão dirigindo devem ter cuidado, praticar direção defensiva e seguir as leis de trânsito. Com relação ao motociclista, o cuidado deve ser ainda maior diante da exposição física”, explica Ferreira.

O chefe da 6ª Delegacia da SRPRF-MT, o Inspetor Leonardo Ramos, complementa que essa combinação de tráfego da cidade com o da rodovia, principalmente quando envolve motocicleta, exige muita atenção e conhecimento de direção defensiva. Porém, o que é presenciado com frequência são condutas inadequadas e arriscadas.

“Em muitos casos os condutores não estão habilitados para dirigir ou pilotar motocicletas e não é raro estarem embriagados. Além disso, práticas como realizar ultrapassagens em locais proibidos, trafegar na contramão ou pelo acostamento, deixar de usar capacete, desrespeitar a sinalização e as leis de trânsito, bem como trafegar com crianças são combinações que levam a acidentes que deixam vítimas”, comenta Ramos.

12 cuidados que podem salvar vidas

Pratique direção defensiva;

  • Respeite à sinalização de trânsito
  • Use capacete adequadamente, afivelado e com a viseira baixada
  • Opte por calçados fechados e roupas adequadas para viagem em motocicleta, com sinalização refletiva
  • Certifique-se de que está sendo visto por outros condutores
  • Não pule canteiros
  • Não trafegue na contramão
  • Acostamento e corredores não são locais para tráfego de motocicleta
  • Crianças não devem ser transportadas em motocicletas
  • Não use o celular enquanto conduz
  • Avalie o tráfego antes de entrar na rodovia
  • Mantenha distância dos veículos, o motorista pode não estar te vendo pelo retrovisor

Fonte: Assessoria de imprensa da Rota do Oeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui