O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, liberou neste sábado (16), o viaduto da pista expressa da Marginal do Pinheiros, na capital paulista. Foto: Divulgação/EBC

Após quatro meses, o viaduto da Marginal Pinheiros, que cedeu no dia 15 de novembro do ano passado, foi liberado hoje (16) para a circulação de todos os tipos de veículos. A liberação ocorreu após um teste de cargas.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, esteve no local hoje de manhã. “Os testes estão de acordo com os modelos matemáticos elaborados. O que nos permite anunciar que não vamos mais liberar o viaduto na segunda-feira (18), para carros, mas no dia de hoje – e não apenas para carros, mas também para caminhões. Dois meses antes do planejado inicialmente”, disse.

Segundo Bruno Covas, parte das obras continuará sendo feita no local. “Não são obras emergenciais. São obras de requalificação do viaduto, que poderão ser feitas com ele sendo utilizado”.

O custo total da obra, considerando também as obras de requalificação, é de R$ 26 milhões. “Menos de 40% dos R$ 70 milhões caso a gente tivesse que demolir e construir novo viaduto”, ressaltou o prefeito.

A estrutura do viaduto cedeu cerca de dois metros. Por causa disso, o trânsito foi interrompido em cima do viaduto e os veículos com destino à Rodovia Presidente Castello Brancos foram desviados para caminhos alternativos.

Com a liberação do viaduto, a circulação pela Marginal Pinheiros, sentido Castello Branco, também volta à normalidade. O rodízio de veículos nessa região será retomado a partir do dia 25 de março. Quem não obedecer o rodízio estará sujeito à autuação.

O prefeito disse ainda que espera anunciar, no dia 22 de março, o cronograma para liberação das obras de recuperação do viaduto da Marginal Tietê que leva à Rodovia Presidente Dutra, que foi interditado em janeiro.

Bruno Covas também disse que a prefeitura está contratando uma empresa para fazer laudos dos viadutos e pontes da cidade, respondendo ao fato de o Ministério Público ter entrado na Justiça solicitando que a prefeitura restrinja o tráfego em todos os viadutos e pontes da cidade em grave situação de risco.

“Iniciamos o processo de contratação dos laudos estruturantes. A prefeitura se orienta a partir desses laudos. Desde 2017, a gente havia verificado que as fiscalizações visuais são insuficientes, são incompletas”, afirmou.

Bruno Covas disse que a Prefeitura solicitou ao Tribunal de Contas do Município (TCM) a autorização para fazer a contratação emergencial desses laudos e o TCM autorizou, desde que houvesse justificativa.

“A gente tinha, inicialmente, 33 pontes e viadutos que haviam sido elencados para iniciar o processo de contratação desde 2017. Desses 33, de 16 nós já temos os laudos contratados. Dos demais, os laudos estão sendo contratados”, disse o prefeito.

Segundo o prefeito, a resposta a ser dada ao Ministério Público é que a prefeitura está se orientando pela contratação de laudos que apontam efetivamente qual é a real situação das pontes e viadutos da cidade.

Fonte: Estradas com Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui