TRAGÉDIA: A tragédia na Fernão Dias (BR-381), em João Monlevade (MG), ainda rende destaque na mídica brasileira. Decorridos cinco dias da queda do ônibus clandestino da LocaLima da ponte na rodovia, um garoto de 10 anos continua internado no Hospital de Pronto Socorro (HPS) João XXIII, em BH. Além deles, há um homem, de 33 anos, e uma menina, de 7 anos, internados. Foto: Divulgação

De acordo com o boletim médico do Hospital João XXIII, em BH, criança de 10 anos está na UTI; além dele, há outras vítimas hospitalizadas um homem de 33 anos e uma menina de 7 anos

A tragédia na Rodovia Fernão Dias (BR-381), em João Monlevade (MG), ainda permanece em destaque na mídica brasileira. Decorridos cinco dias da queda do ônibus clandestino da LocaLima da ponte na rodovia, um garoto de 10 anos continua internado no Hospital de Pronto Socorro (HPS) João XXIII, em Belo Horizonte (MG). Além deles, há um homem, de 33 anos, e uma menina, de 7 anos, internados no João XXIII.

De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), responsável pela unidade de saúde, a criança deu entrada no hospital na tarde de sexta-feira (4) e foi imediatamente levada à cirurgia. Agora, segundo o boletim médico ele está internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Ainda de acordo com a Fhemig, além do garoto, o João XXIII na UTI, um homem de 33 anos, em estado grave, mas estável, e uma menina, de 7 anos, que está no Hospital Infantil João Paulo II. Na segunda-feira (7) ela retornou para o primeiro hospital onde foi submetida a uma cirurgia no tornozelo. Agora, ela se recupera na enfermaria da unidade infantil, que também pertence à Fhemig.

Segundo o boletim da Defesa Civil de Minas Gerais, nessa segunda-feira (7), sete vítimas da tragédia continuam internadas no Hospital Santa Margarida, em João Monlevade. Outras 15 já receberam alta médica.

O Estradas continua mantendo contato com o Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais para saber se o motorista do ônibus respeitava a jornada de trabalho. A Assessoria de imprensa do MPT informou que irá verificar a informação com os auditores fiscais.

A repotagem também tentou pela terceira vez, desde a ocorrência do acidente, o contato com o delegado Paulo Tavares Neto para saber como está a investigação. Até o momento, não tivemos sucesso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui