Um buraco que ameaça engolir uma ponte na rodovia GO-080, próximo ao município de Petrolina (GO), continua preocupando os condutores que trafegam pela via. A Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) afirmou no último dia 25 de março que a erosão seria contida em até dois meses. Porém, o procedimento ainda não foi iniciado.

A travessia dos veículos continua sendo realizada em apenas parte da pista e, por isso, o risco de acidentes é maior. “Os guardas rodoviários já fizeram um relatório sobre o problema na ponte, mas nenhuma providência foi tomada. Direto tem acidente e muita bagunça por aqui”, relata o operador de máquinas Celso José de Mesquita.

Pela segunda vez, a Agetop afirmou que a obra de recuperação da ponte já está licitada. Em nota, o órgão informou que o procedimento deve começar até o início da próxima semana.

O problema que persiste há mais de quatro meses resultou em um acidente na última semana. Um motorista perdeu o controle do veículo e acabou colidindo nas placas utilizadas para sinalizar o buraco. Ele teve ferimentos leves.

saiba maisBuraco ameaça derrubar ponte na GO-080, entre Petrolina e Nerópolis
Chuva derruba bueiros e ponte, deixando moradores ilhados em GO
Cratera de dez metros engole casa e ameaça ponte em Luziânia (GO)

A GO-080 é considera uma das principais rotas do agronegócio no estado, por onde trafegam diariamente centenas de caminhões. Quem depende da rodovia para trabalhar reclama. “Essa pista está toda irregular e cheia de defeitos”, aponta o caminhoneiro Marco Antônio Ferreira.

Outro problema são as imprudências flagradas próximas à ponte. Na quinta-feira (31), a TV Anhanguera flagrou o momento em que um automóvel passa por um quebra-molas em alta velocidade. “O motorista estava vindo em alta velocidade e, possivelmente, não viu a placa. Se ele perde o controle da direção, possivelmente tinha causado um acidente”, relata o condutor Alan Pereira, que estava vindo logo atrás do veículo.

Por causa da erosão na cabeceira, a terra que apoia as estruturas de concreto está desmoronando e, consequentemente, o assoreamento do Córrego Lagoinha está aumentado.