Garantia foi dada pela ANTT que organiza privatização de estradas federais
O histórico trajeto da Estrada da Graciosa vai continuar livre de cobrança de pedágio. A garantia foi dada pela Agência Nacional de
Transportes Terrestres (ANTT), ao deputado federal Eduardo Sciarra (PFL). Com a decisão de instalar a praça de pedágio na BR-116, após o acesso da Graciosa, os motoristas da capital que optarem por este trajeto, para ir ao litoral continuam livres da cobrança da tarifa.

Sciarra vinha reivindicando esta mudança, junto com a Associação dos Municípios da Região Metropolitana (ASSOMEC), presidida pelo prefeito Beto Richa, desde o primeiro momento em que se cogitou a liberação de pedágio no trecho. “A Graciosa é uma rota alternativa importante que precisa ser preservada”, defende.

Esta posição já havia sido declarada em audiência pública promovida pela ANTT, em Curitiba, em fevereiro deste ano, para discutir a implantação de novas praças de pedágio nas rodovias federais que cortam o Paraná. Sciarra explicou à diretoria da ANTT a
importância histórica e estratégica do trajeto para os paranaenses. “O local é bastante visitado pelos paranaenses e turistas, que não podem ser onerados pelo pedágio”, esclareceu.

A Graciosa, cuja construção foi iniciada no século 18, teve origem numa trilha usada por índios do litoral que, na época da colheita
do pinhão, subiam até o planalto. Atualmente, além de ser o local mais preservado do País de Mata Atlântica, é um ponto importante de lazer.