Levantamento do CNT avaliou toda a malha federal pavimentada e os principais trechos de rodovias estaduais

Pouco mais da metade das estradas do estado de Pernambuco (51,7%) foi avaliada como regular, ruim ou péssima. A constatação foi feita segundo a 22ª pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada na semana passada.

Os pesquisadores da Confederação percorreram 3.164 km no Estado. Foram considerados ótimos ou bons 48,3% (1.530 km) dos trechos analisados. O restante foi classificado entre regular (686 km), ruim (347 km) ou péssimo (601 km).

Conforme a CNT, rodovias com deficiência reduzem a segurança, além de aumentarem o custo de manutenção dos veículos e o consumo de combustível. O estudo considera as condições do pavimento, da sinalização e da geometria da via. Segundo o levantamento, estima-se que são necessários R$ 721,2 milhões para ações emergenciais de reconstrução e restauração.

Pelo estudo, as rodovias sob gestão concedida no Estado têm apenas 41 km avaliados, classificadas como ótimo (73,2%) ou bom ( 26,8%) no Estado Geral. Quando apenas consideradas as rodovias sob gestão pública, o percentual de rodovias classificadas como ótimo no Estado Geral é de apenas 5,2%, e como bom, 42,5%.

A grande problemática verificada na avaliação das estradas do Estado é em relação às estradas com concessão estadual. Enquanto as rodovias federais possuem 68,4% dos 2.161 km avaliados com bom ou ótimo, 94,9% dos 1.003 km das rodovias estaduais avaliados estão em estado regular, ruim ou péssimo, segundo a pesquisa, sendo 58,9% das estradas classificadas como péssimas, 26,3% como ruins, 9,7% como regulares, 2,1% como boas e 3% como ótimas.

Nacional
A 22ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias identificou que, dos 107.161 km analisados em todo o país, 57% apresentam algum tipo de problema no estado geral, cuja avaliação considera as condições do pavimento, da sinalização e da geometria da via. Em 2017, esse percentual era de 61,8%.

Segundo a CNT, a discreta melhora está ligada ao critério de sinalização, com placas de limite de velocidade, faixas centrais, laterais e defensas. Neste ano, o porcentual da extensão das rodovias com sinalização ótima ou boa foi 55,3%. Ano passado, foi 40,8%.

Fonte: www.destakjornal.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui