Companhia também negocia reequilíbrio de contratos de concessão de rodoviárias

O Grupo CCR está avaliando ao menos 63 projetos a serem disputados no Brasil e em outros países da América Latina. Os ativos são em mobilidade urbana, rodovias e aeroportos, nesta ordem de interesse. Dentre eles, estão 13 concessões de rodovias que vencem até 2022, que serão relicitadas.

De acordo com a coordenadora de relações com investidores do Grupo, Flávia Godoy, “a companhia está bastante preparada e focada para esse novo ciclo de investimentos”. A declaração foi dada na sexta-feira (26), em teleconferência com analistas de mercado para tratar dos dados do 3º trimestre da empresa. Sobre a participação no leilão da Rodovia de Integração do Sul (RIS), que tem a abertura dos envelopes para a concessão na quinta-feira, 1º de novembro, Flávia disse que a decisão de entrar ou não na disputa será tomada “na véspera”. As propostas dos interessados têm de ser depositadas na B3 amanhã. A RIS passa por 32 municípios do Rio Grande do Sul, com mais de 473 quilômetros de estrada.

A companhia enfrenta obstáculos financeiros, com a piora no tráfego das rodovias e a medida do governo Temer para acabar com a greve dos caminhoneiros, que determinou que as concessionárias de rodovias deixassem de cobrar pedágio pelos eixos de caminhões que estivessem levantados. O lucro líquido atribuído aos acionistas controladores do Grupo CCR teve uma queda de 22,7% no terceiro trimestre de 2018, se comparado ao mesmo período do ano passado, chegando a R$365,3 milhões. Atualmente, o grupo negocia o reequilíbrio dos contratos das concessões rodoviárias, para compensar a suspenção da cobrança dos eixos suspensos(As negociações) já foram iniciadas com os governos estaduais, mas ainda não foi definida a forma de compensação”, afirmou Flávia.

Fonte: www.lexisnexis.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui