VIA ANHANGUERA: A Via Anhanguera é uma das principais vias onde os motoristas cometem imprudências. Em agosto foram quatro mortes. Foto: Divulgação/Ilustrativa

De acordo com o Infosiga, em agosto deste ano, foram 16 mortes contra 9 do mesmo período de 2018; do total de ocorrências, 13 aconteceram em rodovias

O número de mortes no trânsito de Campinas (SP) aumentou 77% em agosto. Foram 16 óbitos, contra nove registrados no mesmo mês do ano anterior. Os dados são do Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP).

Do total de ocorrências, 13 foram registradas em trechos de rodovias que cortam a cidade, e apenas três óbitos ocorreram em vias urbanas.

Locais dos acidentes

  • Rodovia Santos Dumont (SP-075): 4 mortes
  • Via Anhanguera (SP-330): 4 mortes
  • Rodovia dos Bandeirantes (SP-348): 2 mortes
  • Rodovia Jorn. Francisco Aguirre Proença (SP-101): 1 morte
  • Rodovia Prof. Zeferino Vaz (SP-332): 1 morte
  • Rodovia Lix da Cunha (SP-073): 1 morte
  • Avenida Ana Beatriz Bierrembach: 1 morte
  • Avenida John Boyd Dunlop: 1 morte
  • Avenida José Bonifácio: 1 morte

Em agosto de 2018, do total de 9 óbitos, três envolviam pedestres, dois casos motociclistas, dois motoristas de ônibus, um ciclistas e em um caso não havia informação.

De acordo com o levantamento de agosto de 2019, as causas de morte no trânsito de Campinas foram colisões (seis casos), atropelamentos (cinco), choques (dois), engavetamento (dois) e uma queda de moto.

Os atropelamentos de pedestres foram registrados em rodovias, todos no período da noite. As vítimas tinham entre 38 anos e 59 anos, sendo três homens e duas mulheres.

Acidentes envolvendo motocicletas também provocaram cinco óbitos, todos de condutores. Entre os acidentes com automóveis, quatro condutores morreram em ocorrências de trânsito, além de um passageiro. Um óbito foi registrado de um motorista de caminhão, após colisão traseira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui