Com as festas de fim de ano e o período de férias escolares, muita gente decide pegar a estrada com a família entre os meses de dezembro e fevereiro. Mas é preciso estar atento: entre os perigos que as rodovias reservam está a presença de animais perdidos, situação que pode acarretar em acidentes graves. Apesar da queda nas estatísticas das rodovias federais – este ano foram 130 acidentes desse tipo, enquanto em 2012 foram 159 – esse é o motivo pelo qual 3,4% dos acidentes registrados nas BRs ocorreram em 2013.

Conforme o Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em 2013, os 130 acidentes registrados deixaram 55 feridos e dois mortos. O ano de 2012 teve mais acidentes desse tipo: foram 159, com 71 feridos e, assim como em neste ano, dois mortos. Em 2011 apesar do número menor de acidentes – foram 146 envolvendo animais – 48 pessoas ficaram feridas e outras quatro morreram.

No intuito de evitar esse tipo de acidente, a PRF faz a busca de animais pelos 1.620 quilômetros da malha rodoviária federal. De acordo com o inspetor Roberto Cabral, quando é possível identificar, a PRF submete o dono do animal abandonado nas rodovias a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), pelo crime previsto de abandono de animal em via pública gerando risco para a segurança das pessoas.

Até ontem, já haviam sido apreendidos 1.348 animais, número menor que em anos anteriores. Em 2012, foram 1.562 e em 2011, 1.356. Para o inspetor Cabral, os animais acabam se aproximando das rodovias em decorrência da formação de represas nas margens das vias, gerando acúmulo de vegetação que acaba servindo de pasto. As vias com maior incidência de animais é a BR-304, entre Natal e Mossoró. Ela é seguida pela BR-226, entre Natal e Currais Novos, pela BR-406, entre Natal em Macau, e pela BR-405, entre Mossoró e Pau dos Ferros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui