A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) recebeu nesta terça-feira (7) a Reunião Pública – Novo Ciclo de Concessão de Pedágio realizado pelo Governo do Estado.  Lideranças da região, dirigentes de entidades do setor produtivo e de outros segmentos da sociedade discutiram sobre o assunto. O evento contou com a presença da governadora Cida Borghetti (PP).

Estiveram presentes na reunião o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística Abelardo Lupion, o secretário de Estado do Esporte e Turismo João Barbiero, o prefeito Marcelo Rangel (PSDB), do prefeito de Castro Moacyr Fadel(MDB), o prefeito de Ventania Antonio Helly Santiago (DEM), do presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) e prefeito de Jaguariaíva Juca Slobodá, além de vereadores e outras lideranças.

O presidente da ACIPG, Douglas Taques Fonseca, deu boas-vindas aos presentes e salientou a importância do debate deste assunto. Ele comenta que o pedágio tem que existir, mas sugere que o seja no modelo europeu, por quilometro rodado. Fonseca parabenizou a governadora, pelo fato de nenhum outro governador abrir este tema para o debate e ressaltou o trabalho da concessionária CCR Rodonorte. “A Rodonorte realiza um ótimo trabalho não apenas nas rodovias, além disso, é uma empresa cidadã, mas o valor do pedágio é muito alto e impacta na vida de todos. Por isso, deve ser discutido”, salienta

O prefeito Marcelo Rangel disse que as parcerias público-privadas são importantes e que os pedágios são necessários. Segundo ele, o Brasil tem dificuldades históricas em relação a recursos e o engessamento jurídico para melhorias nas estradas. “A decisão do governo foi acertada em fazer um novo processo licitatório transparente e discutido pela população paranaense”, disse Rangel, lembrando que o município arrecada por ano cerca de R$ 9 milhões com o pedágio.

A governadora disse que sua gestão está tomando os cuidados necessários para evitar medidas judiciais ao fim do contrato com as concessionárias que operam no estado. Além disso, este é o momento é ideal para iniciar o debate, nos próximos três anos. “Queremos avançar, sempre com o diálogo. O valor do pedágio é caro, o modelo é bastante antigo e isso vem impactando muito na vida do cidadão paranaense e no bolso do produtor. Por isso o Governo do Estado realiza estas reuniões públicas nas principais cidades do Paraná”, salientou Cida dizendo que a nova tarifa deve ser pelo menos 50% mais barata que a atual.

Fonte: www.acipg.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui