Uma colisão traseira envolvendo caminhão e ônibus de estudantes, ocorrida no início da noite de ontem, na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-225), próximo ao trevo de Pederneiras (26 quilômetros de Bauru), provocou a morte do motorista do segundo veículo, de 37 anos, e de uma estudante de agronomia, de 20 anos. As duas vítimas ficaram presas nas ferragens e o resgate dos corpos durou mais de uma hora.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o ônibus, placas ETU-3200, de Jaú, conduzido pelo motorista Marcos Voltolin, de 37 anos, transportava diariamente estudantes de Dois Córregos para universidades de Bauru. Ontem, por volta das 18h30, no quilômetro 208 da SP-225, sentido Jaú-Bauru, ele chocou-se contra a traseira de um caminhão, placas BWJ-6170, de Vera Cruz, que seguia no mesmo sentido e estava carregado com azulejos.

Os dois veículos trafegavam na faixa da direita. O impacto da colisão foi tão forte que a carroceria do caminhão foi parar dentro do ônibus e azulejos ficaram espalhados pela cabine. Voltolin e a estudante de agronomia Mayara Albiero, 20 anos, ficaram presos nas ferragens e morreram no local. Para retirar os dois corpos, equipes do Corpo de Bombeiros e da concessionária que administra a via tiveram que cortar a lataria do veículo.

Feridos
Outros 11 estudantes que estavam no ônibus também se feriram, dois deles com gravidade, e foram levados por viaturas da concessionária, Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para hospitais de Bauru, Pederneiras e Jaú.

Até o fechamento desta edição, a Polícia Rodoviária não tinha informações sobre a identidade das vítimas. A polícia também não soube informar quantos passageiros estavam no ônibus.

A pista direita da rodovia, sentido Bauru, ficou interditada por algumas horas para o resgate das vítimas e o trabalho da Polícia Científica. As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil.

Antônio do Amaral motorista do caminhão atingido na traseira

‘Ele veio me empurrando’

O motorista do caminhão Antônio Francisco do Amaral, de 49 anos, que mora em Marília, contou que havia saído de Santa Gertrudes e iria descarregar o veículo em Lins. No momento do acidente, ele diz que a sua velocidade era de 40 quilômetros por hora.

Amaral revela que sentiu o impacto na traseira do caminhão e, quando olhou pelo retrovisor, viu o ônibus colado na carroceria. “Ele veio me empurrando. Eu fiquei sem controle e ele me jogou no acostamento”, afirma.

Segundo o motorista, é a primeira vez que ele se envolve em um acidente em mais de dez anos de profissão. “Dá uma aflição danada. É triste ver uma cena dessas”, lamenta. Apesar do susto, ele não se machucou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui