Segundo a assessoria de imprensa da PRF, o primeiro dia de paralisação dos caminhoneiros ligados ao Movimento União Brasil Caminhoneiro, foi restrito a poucos estados e com pequenas retenções. Apenas usando o bom senso, os patrulheiros conseguiram liberar as pistas com rapidez.

Hoje o panorama é ainda mais tranqulio, restando algumas ações pontuais no Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia.

Ontem, em operação educativa realizada pela PRF e Ministério Público do Trabalho, em várias rodovias do país, foram fiscalizados 1.600 caminhoneiros e 1.200 estavam em excesso de jornada. Um deles dirigia sem parar há 22h00.

Para o assessor de imprensa da PRF, Fabiano Moreno, os caminhoneiros etão entendendo a importância da lei que limita o tempo de direção contínua, cuja fiscalização começa na próxima segunda-feira, dia 30.

O movimento grevista, que já nasceu pequeno, está perdendo força e vários caminhoneiros já estão começando a viajar normalmente pelo país.

Nas bases de combustível o abastecimento está normal, apesar do líder do movimento ter forte ligação com cooperativa de tanqueiros.

Muitas famílias de caminhoneiros apoiam o controle de tempo de direção. Para Celeste de Abreu, de Volta Redonda-RJ, cujo marido é caminhoneiro, a lei vai salvar muitas vidas. ” É meu marido viajar e eu começar a rezar. Não aguento mais de sofrimento e tensão.”