Enquanto os agentes de trânsito querem proteger a vida, os políticos tratam de colocá-la em risco

A Semana Nacional de Trânsito vai acontecer entre 18 e 25 de setembro. O tema será: “Perceba o risco, proteja a vida”! Mas será que é isso que ocorre na prática? Num país em 2019 foram pagas 40 mil indenizações por morte e 230 mil por invalidez , pelo DPVAT, em decorrência de acidentes de trânsito, fica claro que perceber o risco não é difícil.

Usamos máscaras para evitar o contágio da Covid-19 mas com relação ao trânsito estamos com os olhos vendados. Nós do SOS Estradas e de entidades de vítimas de trânsito, temos lutado para fazer a sociedade enxergar os riscos e proteger a vida. Mas a realidade mostra como é difícil esse processo de conscientização da população e das autoridades.

No Youtube e mídias sociais destaca-se o debate pela liberdade de expressão. Plataformas retiram conteúdo do ar, decisões judiciais também, internautas “cancelam”, para usar termo da moda, personalidades por uma simples frase.

Curiosamente, no Youtube crimes de trânsito são postados diariamente, sem nenhuma restrição da plataforma, sem “cancelamento” dos potenciais assassinos do trânsito. Portanto, cometer crimes indiscutíveis, colocar vidas em risco, não gera debate. Ainda que o criminoso e a plataforma ganhem dinheiro com as visualizações.

No Brasil 70 milhões de pessoas possuem habilitação e 140 milhões são apenas pedestres ou passageiros. Mas a prioridade é beneficiar quem dirige. Desligam radares em rodovias, que são a principal avenida das cidades do interior, deixam o pedestre por sua conta e risco, sem sequer uma passarela. Quando uma criança morre atropelada ao atravessar a estrada para ir a escola consideramos acidente. E há quem diga que não adianta construir passarelas porque pedestres não usam.

Projeto de Lei apresentado pelo Governo conseguiu a proeza de aprovar na Câmara que motoristas infratores de ônibus,caminhões, taxis, aplicativos, moto-frete,  possam atingir 79 pontos antes de ter a CNH suspensa contra os atuais 20 pontos. É isso mesmo, um motoboy poderá atingir 39 pontos, fazer um curso de reciclagem e ainda ter 40 pontos de infrações para antes de correr o risco de ter a CNH suspensa. Mas não eles não devem se desesperar pois terão ainda vários recursos para evitar que isso ocorra. Antes acontecia com 20 pontos.

Poderíamos apresentar inúmeros outros absurdos em todas as esferas: federal, estadual e municipal. Mas o que é certo é que a Semana Nacional do Trânsito está com o título errado. Na prática é: Perceba o Risco e Não Proteja a Vida.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui