MELHORIAS: O DER do Paraná está concluindo as melhorias na PR-537, entre Florestópolis e o distrito Santa Margarida, de Bela Vista do Paraíso, na região Norte do Estado. Foto: Divulgação

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), estão sendo feitos serviços de conservação em pontos críticos na região Norte do Estado

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) está concluindo as melhorias na PR-537, entre Florestópolis e o distrito Santa Margarida, de Bela Vista do Paraíso, na região Norte do Estado. Foram investidos R$ 3.328.289,35 para atender todos os pontos considerados críticos no trecho que tem uma extensão de 24,46 quilômetros.

De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, Florestópolis tem uma economia voltada principalmente para a produção e o processamento da cana-de-açúcar, sendo essa cultura a principal geradora de empregos no município. “Para os caminhões canavieiros poderem transportar a produção com segurança, e para os derivados da cana serem entregues, precisamos garantir que as rodovias estejam em boas condições, sem buracos e bem sinalizadas”.

“Esses serviços do DER também beneficiam demais produtores da região, o setor de pecuária e de criação de aves, outras indústrias e empresas que utilizam a rodovia, e, por consequência, todos os moradores de Florestópolis e Bela Vista do Paraíso”, destacou o secretário.

Os serviços são executados como parte do lote 7 do programa Conservação de Pavimentos (COP) do DER e incluem remendos superficiais e profundos, execução de drenos, reperfilagem, microrrevestimento e sinalização.

Remendos são executados nos pontos com trincas, buracos e ondulações. Nos remendos superficiais é feita a fresagem e a recomposição do pavimento com Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ). Nos remendos profundos ocorre a substituição da sub-base do pavimento por uma nova camada de brita graduada a seco (BGS), antes dos serviços no pavimento.

A reperfilagem é a aplicação de uma massa asfáltica, compactada para nivelar a superfície da pista de rolamento, corrigindo deformações e selando fissuras. No microrrevestimento é aplicada uma mistura asfáltica a frio, com uma espessura menor, que rejuvenesce e preserva o pavimento, melhorando a aderência de pneus à pista.

Os drenos são executados paralelamente à pista, no encontro entre o pavimento e o terreno natural. O solo é escavado em uma profundidade de 60 centímetros por 15 centímetros de largura, e dezenas de metros de comprimento. Esse espaço é preenchido com materiais drenantes, como agregados naturais ou sintéticos, materiais filtrantes, como manta sintética, etubo de polietileno. O objetivo é rebaixar as águas subterrâneas, também conhecidas como olho d’água, evitando que elas afetem a resistência do pavimento ou de sua base.

Na sinalização horizontal são realizados os serviços de pintura de linhas e faixas com tinta acrílica, sendo este o último serviço antes da frente de trabalho sair do trecho.

“Os serviços descontínuos do programa COP são ideais para rodovias como a PR-537, que apresenta desgastes em pontos específicos, principalmente curvas e subidas, não sendo necessária uma intervenção mais ampla no pavimento”, explica o diretor-geral do órgão, Fernando Furiatti. “Melhoramos a experiência do condutor, quanto ao seu conforto e segurança, utilizando racionalmente o recurso público”.

O lote 7 do COP atende 336,39 quilômetros de rodovias, principalmente na região entre Londrina e a divisa com São Paulo. O investimento em todos estes serviços de conservação é de R$ 60,5 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui