Edital de concessão da RIS - Rodovia de Integração do Sul teve várias novidades em relação às concessões anteriores da ANTT. Foto: Divulgação

Presidente Bolsonaro demorou quatro dias para se manifestar sobre a concessão no RS

Depois de quatro dias da assinatura do contrato, o presidente Jair Bolsonaro resolveu comemorar nesta terça-feira (15) o evento. A assinatura da concessão da Rodovia de Integração do Sul (RIS), que interliga 32 cidades gaúchas, foi realizada na sexta-feira (11), em Porto Alegre (RS),com a presença do ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

A concessão inclui as rodovias BR-101, Br-290, Br-386 e BR-448. Somente hoje, o presidente, num post fixo, na sua conta pessoal no Twitter, ele se manisfestou ressaltando que a concessão irá gerar quatro mil empregos, além de melhorar os serviços prestados ao usuário.

“São 473 quilômetros de rodovias no estado do Rio Grande do Sul que receberão investimentos privados de R$ 7,8 bilhões, sendo que 225 km de duplicação da BR-386, Rodovia de Produção”, afirmou o presidente.

Assinatura
O contrato da concessão da RIS foi assinado na sexta-feira (11), pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em Porto Alegre. A concessão por 30 anos foi vencida pelo Grupo CCR, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). A Via Sul, empresa que administrará a RIS,  instalará sete pedágios em todo o trecho, ao longo dos próximos anos.

No rol das obrigações, a concessionária deverá manter na rodovia sete postos de atendimento aos usuários. Além disso, estarão disponíveis dez ambulâncias, quatro UTIs móveis, 13 guinchos leves, quatro guinchos pesados, três caminhões-pipa e sete veículos de inspeção de trânsito, entre outros equipamentos disponíveis.

Fonte: Estradas com Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui