PASSIVO: Depois de Minas Gerais, o Distrito Federal passou a utilizar o bafômetro passivo nas rodovias federais. Foto: Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou, na tarde da última sexta-feira (24), a primeira operação com os etilômetros (bafômetros) passivos, aparelhos recém-chegados na capital federal, de acordo com a PRF.

Segundo a corporação, o novo equipamento, além de dar celeridade para a fiscalização, representa economia para a instituição, pois reduz os gastos com os bocais.

Ainda de acordo com a PRF, em apenas alguns segundos, o etilômetro passivo é capaz de indicar se o condutor fez uso ou não de bebida alcoólica. Após o motorista assoprar na direção do aparelho, uma luz verde (foto) ou vermelha (vídeo) se acende. Com a luz verde, o motorista é liberado. Com a luz vermelha, o motorista é convidado a fazer o teste no etilômetro tradicional.

O novo aparelho funciona como uma espécie de triagem, liberando rapidamente o motorista que não apresenta nenhum vestígio de álcool e direcionando a fiscalização para aqueles motoristas com indícios de ingestão de álcool.

Nos primeiros quatro meses deste ano, a PRF registrou um aumento de aproximadamente 25% nos flagrantes de alcoolemia nas rodovias do Distrito Federal. Em quatro dias de uso do novo aparelho, 14 motoristas foram autuados por embriaguez ao volante. Esses condutores receberão uma multa no valor de quase três mil reais, além de perderem sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação e tê-la suspensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui