TRISTEZA: Ironia ou não, um agente da PRF morreu depois de colidir de frente com um carro na BR-040, logo depois de ter saído do plantão na base de Juiz de Fora (MG). Ele faz parte do saldo triste de 77 pessoas que perderam a vida no carnaval 2021. Foto: Divulgação/CBMG

De acordo com o balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgado na tarde desta quinta-feira (18), foram 789 sinistros*

As mortes nas rodovias federais neste carnaval 2021 chegaram a 77, de acordo com o balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na tarde desta quinta-feira (18).

Segundo a Corporação, os 789 sinistros resultaram também em 1.020 feridos, durante o esquema especial, iniciado na sexta-feira (12), à 0h, e concluído nessa quarta (17), às 24h.

Ainda de acordo com a PRF, em relação ao carnaval 2020, que ocorreu entre os dias 21 e 26 de fevereiro, houve queda no número de acidentes, feridos e mortos. O número de mortes no ano passado foi 91 e o de feridos, 1.597, num total de 1.233 sinistros.

Fiscalização

Segundo a PRF, durante o período, foram fiscalizados 171.050 veículos, que flagraram 600 condutores dirigindo sob o efeito do álcool; 5.782 pessoas que não usavam o cinto de segurança; 7.121 motoristas que fizeram ultrapassagens proibidas(7.121) e 455 condutores que foram multados por usarem o celular ao volante.

Outro problema que tem sido recorrente nas rodovias federais é a criminalidade. Os policiais apreenderam 2,2 toneladas de maconha, 165 quilos de cocaína e 380 unidades de anfetaminas, conhecida por ‘rebite’.

A Operação Carnaval 2021 faz parte da Operação Rodovida, iniciada em dezembro do ano passado e que segue até o próximo dia 21.

Com bate ao excesso de velocidade não foi prioridade

Conforme divulgado pela PRF, o foco das fiscalizações em todo o país, no período do carnaval 2021, foi as ultrapassagens em locais proibidos, a falta de atenção e ingestão de bebida alcoólica e ou não uso do cinto de segurança, entre outras infrações.

Estranhamente, a Corporação deixa de priorizar o combate ao excesso de velocidade, uma das principais causas de acidentes graves e com mortes nas rodovias brasileiras. Nessa mesma época, em edições anteriores, a PRF atuava com rigor no combate ao excesso de velocidade. Infelizmente, desde que os radares foram ‘desligados’ nas rodovias federais, em abril de 2019, a PRF deixou de fiscalizar os abusos do limite de velocidade.

(*) Desde a segunda quinzena de janeiro de 2021, o portal Estradas passou a adotar a expressão “sinistro de trânsito“, ou apenas “sinistro” no lugar de “acidente de trânsito” ou “acidente”, com base na redefinição do termo feita pela ABNT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui