TESTES: O Dnit inicia nesta quinta (2/7) testes na BR-251/GO dos equipamentos que vão ser usados no mapeamento da malha viária federal. Foto: Divulgação

De acordo com o DNIT, dados permitem identificar investimentos que geram maior eficiência na manutenção viária

Um trecho da BR-251/GO será usado, a partir desta quinta-feira (2/7), para teste para a aferição dos equipamentos de vídeo registro e Índice de Irregularidade Internacional (IRI) que serão utilizados no levantamento e na caracterização das rodovias federais, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Ainda de acordo com o Dnit, na atividade, foram demarcados dois trechos de 320 metros, na altura do Km 9, contando ainda com um segmento de 1.000 metros, georreferenciado, para calibração dos odômetros e conferência dos sistemas de rastreamento GPS dos veículos.

Com informações atualizadas e confiáveis, adquiridas a partir do levantamento in loco, o DNIT armazena os dados das características funcionais, estruturais e operacionais das rodovias federais e ainda identifica os investimentos capazes de gerar a maior eficiência nas ações de manutenção da malha rodoviária sob sua administração, por meio do Sistema de Gerência de Pavimentos (SGP).

CICLO: No primeiro ciclo do levantamento, serão utilizados nove equipamentos.

Levantamento

Para este primeiro ciclo de levantamentos, serão nove equipamentos para a obtenção dos dados deflectométricos (FWD) e seis veículos para o levantamento visual contínuo com obtenção de IRI, bem como imagens com metodologia IRAP.

O IRI mede as irregularidades do pavimento, que causam desconforto aos motoristas; o Registro em Vídeo, documenta a situação de uma rodovia em momento específico do tempo. Umas das finalidades deste registro é o cadastro de defeitos do pavimento, realizado pelo Levantamento Visual Contínuo. Quanto aos dados deflectométricos, estes serão obtidos com a utilização do Deflectômetro de Impacto Falling Weight Deflectometer – FWD em toda malha rodoviária federal sob administração do DNIT espaçado em 200 metros alternados.

Os trabalhos em campo começam nesta quinta-feira (2/7). Serão quatro ciclos de Levantamento Funcional, com duração de oito meses cada um e um ciclo único de Levantamento Deflectométrico, com duração de 16 meses.

Método IRAP

A grande novidade dessa contratação fica por conta do levantamento de imagens para verificação, também, pela metodologia IRAP: Programa de Avaliação de Rodovias do International Road Assessment Programme, com objetivo de identificar as vias de mais alta periculosidade no país, possibilitando a priorização de intervenções para redução dos riscos.

Fonte: Comunicação do Dnit

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui