EM MOVIMENTO: Entrevias instala equipamento na Via Anhanguera e SP-322 que permitem pesar os caminhões sem que entrem na balança. O sistema pesa o veículo em movimento. Foto: Divulgação/Entrevias

De acordo com a concessionária Entrevias, além da SP-330, a Rodovia Armando Sales de Oliveira (SP-322) também recebeu o equipamento

Uma novidade promete garantir mais segurança aos usuárois da Via Anhanguera (SP-330) e Rodovia Armando Sales de Oliveira (SP-322), no interior de São Paulo. Trata-se da balanças que permitem a pesagem dos caminhões em movimento, por meio do Sistema de Pesagem em Movimento de alta velocidade, o WIM (Weigh In Motion), tecnologia que registra peso, tamanho e outras medidas do veículo de carga sem que haja necessidade de entrar nas balanças ou nos Postos Gerais de Fiscalização (PGFs), ao longos dessas estradas.

De acordo com a Entrevias, responsável pelas rodovias, os locais onde está sendo testada, desde quarta-feira (1º/9), a nova tecnologia são:

  • PGF – km 373 da Via Anhanguera (SP-330), nas duas pistas, em Orlândia (SP)
  • PGF – km 448 da  Via Anhanguera (SP-330), pista sul, em Igarapava (SP)
  • PGF – km 358 da Armando de Sales Oliveira (SP-322), pista leste, em Pitangueiras (SP)

Segundo a Entrevias, a novidade tem a aprovaçao dos caminhoneiros que trafegam no trechos das duas estradas. Com o retorno da pesagem e fiscalização dos veículos comerciais – sob responsabilidade do DER-SP – o WIM é uma novidade importante para o caminhoneiro, pois contribui para reduzir o tempo de viagens e melhora a performance da logística de entregas e de escoamento de produtos no país.

Como funciona

De acordo com a Entrevias, foi desenvolvido um modelo operacional inovador, que garante a facilidade de identificação de todos os veículos e direciona para entrada e pesagem no PGF somente os caminhões que estiverem com o peso ou as dimensões (largura ou altura) muito próximos dos limites da respectiva categoria, para que seja possível uma verificação mais precisa dessas características.

Ainda de acordo com a empresa, foram instalados pórticos sobre as faixas de rolamento que estão equipados com câmeras com capacidade para identificação de placas (OCR), leitoras de tags de radiofrequência, scaner laser e câmeras panorâmicas. No pavimento das rodovias, foram instalados os sensores de peso e, com a integração dos equipamentos, é possível detectar a classificação do veículo, o peso bruto total, peso por eixo e por conjunto de eixo, além de identificar a placa de veículo, suas dimensões (altura, largura, comprimento).

O WIM está previsto no contrato de concessão da Entrevias e, desde o início de sua operação – em meados de 2020, primeiro em uma fase educativa – Artesp e DER acompanham o desempenho do sistema.

Para informar os caminhoneiros, a Entrevias realiza uma campanha de comunicação, apresentando o funcionamento do sistema e suas vantagens. Um vídeo está sendo divulgado em redes digitais que têm como principal público os caminhoneiros e encontra-se no canal do Youtube da concessionária.

Caminhoneiros aprova

Genésio José Safanelli, caminhoneiro há 25 anos, aprovou a agilidade da balança com pesagem em movimento. “É mais prática e economiza nosso tempo. Principalmente quando o caminhão já foi descarregado e está vazio, ele não precisa ficar em filas”, contou.

Seu colega de trabalho, Leonardo da Silva, concordou, “seria excelente se em todas as rodovias tivessem esse tipo de balança, nosso tempo de viagem ficaria mais curto”. Os caminhoneiros de Santa Catarina contam que viajam o país todo e já se atrasaram por conta da pesagem obrigatória.

O Sistema WIM agrega valor ao trabalho dos motoristas de cargas em trânsito rodoviário, que transportam mercadorias para diversas frentes do país, segundo apontou Abadia Matheus, diretora do Sest/Senat de Ribeirão Preto.

Com informações da Entrevias

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui