FINADOS 2020: As estradas de São Paulo terão esquema especial neste feriado de Finados. A "Operação Finados 2020", conta com o reforço do Policiamento Rodoviário Estadual, do DER, da Artesp e das concessionárias de rodovias. As ações operacionais conjuntas começam nessa quinta-feira (29) e vão até segunda-feira (2), com o objetivo de garantir maior segurança e conforto aos usuários que forem viajar neste feriado prolongado. Foto: Aderlei de Souza

Considerada uma das principais rodovias do Brasil, faz a ligação entre a capital paulista e a região Norte de São Paulo

A Via Anhanguera (SP-330) ficou mais experiente nessa quarta-feira (22), ao completar 72 anos de inauguração do trecho entre São Paulo e Jundiaí. Considerada uma das principais rodovias do Brasil – e integrante do sistema da BR-050, que liga Brasília a Santos, a estrada tem 453 quilômetros de extensão entre a capital paulista (marco zero) e Igarapava, na divisa com Minas Gerais.

Atualmente, a Via Anhanguera é administrada por quatro empresas privadas, que fazem parte do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, iniciado em 1998, e possui pedágios em toda a sua extensão.

Veja o trecho de cada concessionária:

AutoBAn: do km 11 até o km 158

Intervias: a partir do km 158 até o km 240

ViaPaulista: do km 240 até o km 318

Entrevias: do km 318 até o km 453

O início

A primeira versão da Via Anhanguera, conhecida como Estrada Velha de Campinas (SP-332), foi iniciada em 1916 com a mão de obra de 84 sentenciados, que construíram 32 quilômetros.

Em 1920, o então presidente do Estado, Washington Luís, determinou a aceleração dos trabalhos da São Paulo-Jundiaí e seu prolongamento até Campinas.

Na ocasião, foram contratados trabalhadores assalariados, que substituíram os presidiários. Foi a primeira estrada planejada e executada em função dos veículos motorizados. No ano de 1920, era iniciada a construção do trecho de Campinas até Ribeirão Preto.

A São Paulo-Campinas, antecessora da Via Anhanguera, foi concluída em 1921, quando existiam, em todo estado pouco mais de três mil carros de passageiros e 100 caminhões.

MOVIMENTO INTENSO: Região de Campinas concentra tráfego intenso todos os dias. Na foto, trecho com o entroncamento com a D. Pedro (SP-065), altura do Km 136. Foto: Divulgação

Em 25 de janeiro de 1940, foram iniciadas, por meio do interventor federal Adhemar Pereira de Barros, as obras de construção da nova rodovia São Paulo-Campinas, que passou a chamar-se, oficialmente, Via Anhanguera.

Passados oito anos, em 22 de abril de 1948, no segundo mandato de Adhemar de Barros, ficou concluída a primeira pista pavimentada da rodovia ligando São Paulo a Jundiaí, e, posteriormente, até Campinas.

Foi em 1953 que a segunda pista ficou pronta e a Via Anhanguera tornou-se a primeira rodovia pavimentada e duplicada do Brasil. Nove anos depois, começavam as obras de construção e pavimentação do novo acesso da Anhanguera a Campinas. Em março de 1976, a Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. assumia o controle do km 10 ao 110.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui