UNO NOVO OLHAR: Projeto de impacto social Re.movies realizou, na última quinta-feira (18), a entrega de 16 óculos para jovens assistidos pela instituição Ação Moradia, que atua no bairro Morumbi, em Uberlândia (MG). Foto: Divulgação

De acordo com a concessionária Ecovias do Cerrado, projeto Re.movies possibilitou entrega de óculos a fim de promover a inclusão e evitar a evasão escolar

Uma iniciativa para ampliar horizontes de crianças e adolescentes em vulnerabilidade socioeconômica. O projeto de impacto social Re.movies realizou, na última quinta-feira (18), a entrega de 16 óculos para jovens assistidos pela instituição Ação Moradia, que atua no bairro Morumbi, em Uberlândia (MG).

A ação aconteceu com o investimento social da concessionária Ecovias do Cerrado, tendo como objetivo evitar a evasão das escolas através do acesso oftalmológico. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30% das crianças em idade escolar no Brasil apresentam problemas de visão, que quando não são diagnosticados corretamente, afetam a aprendizagem e podem causar o abandono dos estudos.

É para mudar essa realidade que surgiu a proposta do Re.turn. Por meio do projeto, 150 crianças e jovens beneficiados pela Ação Moradia foram submetidos a um teste de acuidade visual, em que foi detectado a necessidade de encaminhar 35 assistidos a um consultório oftalmológico para a realização de mais exames.

Conforme explica a Coordenadora do Comitê de Sustentabilidade da Ecovias do Cerrado, Natália Manfrin, após os testes complementares, 16 crianças e adolescentes tiveram problemas visuais confirmados e, com investimento social da concessionária, ganharam os pares de óculos necessários para as correções visuais.

“A responsabilidade social é um dos pilares do Grupo EcoRodovias, sempre atento a ações que podem contribuir para o desenvolvimento das comunidades do entorno de suas unidades. Uma iniciativa como o Re.Movies garante não apenas a continuidade dos estudos para jovens e crianças em vulnerabilidade social, mas também acrescenta em bem-estar e qualidade de vida, com a ampliação de horizontes por meio de uma visão mais clara e bem definida”, diz.

Um novo olhar

A adolescente Talita Neto dos Santos, de 14 anos, é uma das beneficiadas pela ação. Ela conta que, após os testes, foi levada para escolher a armação que mais lhe agradou. “Já usei óculos uma vez, agora vou usar de novo. Estava um tempo sem usar e sentia dificuldade para fazer algumas coisas. Às vezes a cabeça doía porque ficava forçando as vistas”, diz.

A estudante Airla da Silva, de 11 anos, é outra beneficiada. Ela conta que está usando óculos pela primeira vez e que espera, agora, conseguir fazer as atividades do dia a dia com mais facilidade. “Hoje de manhã eu tive de sentar no fundo da sala de aula e foi ruim, não consegui enxergar a lousa direito. Ainda tenho de me acostumar com os óculos, é diferente, mas diferente para melhor”, afirma.

A médica Márcia Barbosa da Cunha Lima foi quem realizou os exames nas crianças. Ela explica a importância da promoção do acesso oftalmológico para garantir a inclusão social. “Oitenta por cento das informações que recebemos são pela visão. Quando ajudamos o indivíduo a enxergar melhor, fazemos a inserção dele em um mundo enorme, cheio de possibilidades. Melhoramos suas percepções das mais variadas formas”, diz.

Experiência cultural com cinema ao ar livre

Para complementar a entrega dos óculos, o projeto Re.movies também vai promover uma experiência cultural marcante, inspiradora e gratuita com um cinema ao ar livre, que acontece neste sábado (20), no deck externo da praça de alimentação do Uberlândia Shopping. A iniciativa é aberta ao público, mediante inscrição via internet.

O Projeto Re.movies é uma apresentação do Ministério do Turismo, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, que recebeu o patrocínio da Ecovias do Cerrado, que teve também apoio do Uberlândia Shopping.

As exibições acontecerão sempre às 19h, em local aberto, respeitando todos protocolos de prevenção à Covid-19. Na sexta, será transmitido o filme “Helen” – que conta uma aventura urbana sobre o cotidiano de quem vive nos cortiços, através das relações vividas pela jovem protagonista. No sábado, será a vez do documentário “Olhando para as Estrelas” –  um retrato de duas dançarinas que fazem parte da única escola de balé para cegos do mundo: a Associação Fernanda Bianchini, localizada em São Paulo. Ambas produções são nacionais e baseadas em fatos reais. Mais informações no site: www.uberlandiashopping.com.br.

Fonte: Ecovias do Cerrado

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui