Corporação comemora redução de acidentes, mortes e feridos, em 2018, nas rodovias de PE. Foto: Divulgação/PRF

Falta de atenção, desobediência às normas e velocidade incompatível são as principais causas de acidentes

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), unidade de Pernambuco, divulgou balanço sobre os acidentes nas rodovias federais do estado e o resultado foi redução de 14,2% na quantidade de mortes em 2018; de 343, em 2017, para 294, no ano passado.

O número de pessoas feridas também caiu de 3.086 para 2.736, redução de 11,3%; assim como o total de acidentes registrados pela corporação, que passou de 3.435, em 2017, para 2.699, em 2018, redução de 21,4%.

Um fator inédito é a quantidade de pessoas mortas. Pela primeira vez, nos últimos nove anos, o número ficou abaixo de 300. O maior número ocorreu em 2010, quando 475 perderam a vida em acidentes nas rodovias federais do estado.

Perfil dos acidentes fatais

A PRF listou as principais causas dos acidentes com morte no ano de passado, que são: falta de atenção (35%), que pode ocorrer tanto por parte do condutor como do pedestre, desobediência às normas de trânsito (15,3%), velocidade incompatível (11,5%), ingestão de álcool pelo motorista (6,4%) e condutor dormindo na direção do veículo (5,7%).

E, como já é de conhecimento geral, o tipo de acidente que mais resultou em mortes foi a colisão frontal (22,7%), que ocorre principalmente nas ultrapassagens proibidas. Em seguida, os atropelamentos (15,6%), as saídas de pista (13,6%), as colisões traseiras (11,9%) e as colisões transversais (10,2%).

RIGOR: Fiscalização minuciosa contribuiu para a redução de ocorrências no estado. Foto: Divulgação/PRF

A maioria das mortes (53,4%) ocorreu à noite, enquanto 46,6% das ocorrências fatais foram registradas durante o dia, ao amanhecer ou ao entardecer. Foi verificado que 87% dos mortos eram do sexo masculino e 13% do sexo feminino.

Os trechos de pista simples concentraram 62,2% das vítimas mortas e 37,7% em trechos de pista dupla.

A maior parte das mortes (90,7%) ocorreu em condição de pista seca e 9,3% com a pista molhada. Apesar dos riscos em dirigir sob chuva, foi com céu claro que ocorreram mais mortes, com 75,9% do total.

Ações intensivas

Ao longo de 2018 foram consultados 186.726 veículos e 212.141 pessoas, sendo emitidos 104.555 autos de infração por diversas irregularidades. Destacam-se 6.036 autuações por ultrapassagens em local proibido, 5.236 pelo não uso do cinto de segurança, 1.044 pela falta do capacete e 618 pela ausência dos dispositivos de retenção para crianças (bebê-conforto, cadeirinha ou assento de elevação). Além disso, foram registradas 32.036 imagens de radar por excesso de velocidade.

No combate à alcoolemia foram realizados 83.077 testes com o bafômetro, que resultaram em 1.729 motoristas autuados e 177 presos pela mistura de álcool e direção.

As ações de educação para o trânsito, que tem como objetivo conscientizar sobre cuidados para evitar acidentes, alcançaram 27,4 mil motoristas e passageiros, enquanto as atividades de Direitos Humanos sensibilizaram 13.748 pessoas.

A Base de Operações Aéreas da PRF, que atua em conjunto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), realizou o resgate e remoção de 29 vítimas de acidentes. No total, foram realizadas 225 missões aeromédicas e policiais com a utilização do helicóptero.

Seja por terra ou ar, as equipes da PRF estão atentas no combate à criminalidade e aos abusos. Foto: Divulgação/PRF

No ano passado, foram recolhidos 835 animais que estavam soltos nas rodovias e registradas 5,2 mil toneladas de mercadorias com excesso de peso em veículos de carga.

A fiscalização resultou ainda no recolhimento de 9.738 veículos, 8.954 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) e 2.072 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs).

Combate ao Crime

Entre janeiro e dezembro do ano passado, a PRF recuperou 198 veículos, apreendeu 29 armas de fogo, 207 munições, 270,5 mil maços de cigarro, 325,9 quilos de maconha, 30,6 quilos de crack, 2,5 quilos de cocaína e 193 unidades de anfetamina.

Além disso, foram detidas 638 pessoas por diversos crimes, como roubo, receptação, porte ilegal de arma, contrabando, tráfico de entorpecentes, uso de documento falso, com mandados de prisão em aberto e por crimes de trânsito.

Nesse período, também foram resgatados em conjunto com órgãos ambientais, 136 animais silvestres e 82 animais exóticos. A apreensão de bebidas ilegais ou clandestinas alcançou 9,2 mil litros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui