Inspetor Huanderson Santos ficou ferido gravemente após viatura se envolver em grave colisão na BR-158, em Cascavel (PR), no último dia 25 de janeiro

Amigos  e colegas do inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Huanderson Santos, que ficou gravemente ferido em um acidente (sinistro), no último dia 25 de janeiro, na BR-158, em Cascavel (PR) estão promovendo uma campanha de solidariedade. Na ocasião, ele estava em serviço junto com outro inspetor. Ambos foram socorridos para um hospital do município.

Depois de ter ficado vários dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Huanderson já está se recuperando em sua residência, desde a semana passada. Agora, ele terá de continuar com o tratamento em casa. Porém, os cuidados permanentes, prestado por profissionais de saúde como técnicos de enfermagem e fisioterapeutas, além de alimentação especial, adaptações na casa, mobiliário e medicamentos têm custo alto.

Campanha “Todos pelo Huanderson”

Diante desse cenário, os amigos de Huanderson resolveram iniciar a campanha “Todos pelo Huanderson”, que visa colaborar com a família no tratamento do inspetor. Mesmo com o plano de saúde, que custeia parte do atendimento domiciliar, há despesas que não são cobertas.

Com isso, os familiares, principalmente a esposa e dois filhos, já sentem um impacto financeiro, com o aumento das despesas. A condição clínica atual de Huanderson deverá permanecer por tempo indeterminado, até a melhoria de seu quadro clínico, que permanece estável e acamado.

A iniciativa tem o apoio do Sindicato Nacional dos Policiais Rodoviários Federais do Paraná (SinPRF-PR).

Quem quiser e puder, basta enviar a ajuda por meio do PIX. Abaixo os dados para a transferência:

PIX – CPF: 257.206.718-89
Huanderson de Araújo dos Santos
Santander – Agência 3587 – C/C 01070642-1

PRF foi prejudicada com reforma da previdência

Segundo o vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), Marcelo Azevedo, a reforma da Previdência Social, em 2019, trouxe impactos muito grandes para os servidores federais não militares, em caso de invalidez ou morte. “A redução das pensões ou aposentadoria por invalidez ou morte, exceto nos casos de ‘agressão em serviço’, é significativa. No caso de acidente com viatura, por exemplo, não foi abrangido”, explicou.

Segundo Azevedo, com a reforma, as regras do cálculo são limitadas ao teto da Previdência. “No caso de aposentadoria por invalidez ou mesmo de pensão por morte, ainda que seja em serviço, a base de cálculo é o teto da previdência, os R$ 6 mil. Se for o caso de invalidez em serviço, o servidor vai receber 100% da média das contribuições. Com isso, vai dar menos que o teto. E, se for fora de serviço, será ainda menor, ou seja, é 60% dessa média. Cai mais a ainda”, frisa.

Azevedo ressalta que no caso dos inspetores da PRF, a situação é ainda pior. “A gente acaba sendo duplamente prejudicado porque o risco da atividade desenvolvida não se compara a de outro servidor. “Temos dificuldade no mercado em conseguir uma cobertura de seguro de vida. Normalmente, as seguradoras não fazem para os policiais, porque o risco é muito alto. Há uma quantidade bem pequena de empresas que fazem. E quando fazem, o prêmio é altíssimo”.

Para o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, é fundamental dar todo apoio as polícias rodoviárias e seus integrantes. “O trabalho realizado por eles , tanto nas rodovias federais quanto estaduais, é fundamental para a segurança de todos. Um país só fará parte da elite do mundo quando oferecer as melhores condições aos seus policiais rodoviários que, além de atuar em prol da segurança no trânsito, ainda combatem o crime organizado.”

Rizzotto ainda lembra que neste feriado de Páscoa, milhões de brasileiros vão utilizar as nossas rodovias e fica ainda mais fácil compreender a importância do trabalho das polícias rodoviárias e os riscos que correm. “Fiquem atentos e apoiem a campanha de solidariedade para o Huanderson e sua família.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui