MAIS PEDÁGIOS: O governo do Rio Grande do Sul definiu na semana passada a concessão de mais um lote de rodovias, que foi vencido pelo consórcio Integrasul e será responsável pela administração de trechos de seis rodovias estaduais na Serra e no Vale do Caí. Foto: Divulgação/EGR/Ilustrativa

Edital prevê a instalação de seis praças de pedágio, com tarifas que vão variar entre R$7 e R$9,95

O Conselho Gestor do Programa de Concessões e Parcerias Público-Privadas (CGPCPPP) do governo do Rio Grande do Sul aprovou, na última sexta-feira (10), a publicação do edital para concessão de 271,5 quilômetros de rodovias estaduais do bloco 3 do programa RS Parcerias.

De acordo com o Conselho, o edital contempla investimentos de R$ 3,4 bilhões, cerca de R$ 500 milhões a mais do que o proposto na modelagem apresentada durante o período de consulta pública. O documento, elaborado em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e que contou com o apoio de consultoria especializada, será publicado até o fim de dezembro.

Conforme prevê o edital, o acréscimo dos investimentos foi feito após a realização de seis audiências públicas e mais de 100 reuniões presenciais com prefeitos, vereadores e líderes locais, nas quais foram recebidas cerca de 2 mil contribuições. Uma das novidades do edital será a construção de 10 quilômetros de ciclovias, medida inédita nas concessões de rodovias feitas no país. Está prevista ainda a construção de mais 30 quilômetros de vias marginais que foram sugeridas pelos participantes das audiências públicas.

Mais passarelas

Também foram ampliadas de 12 para 45 o número de passarelas, de 27 para 98 a adequação de acessos, de quatro para cinco o número de rótulas simples e de 20 para 26 a quantidade de rótulas alongadas. Serão 116,4 quilômetros de duplicações e 53,96 quilômetros de terceiras faixas. Todos os investimentos foram antecipados e deverão ser feitos em um único ciclo de investimentos, até o sétimo ano da concessão. Na modelagem inicial, as obras poderiam ser feitas em períodos escalonados entre o terceiro ano até o vigésimo quinto ano.

Como anunciado pelo governador Eduardo Leite, a nova modelagem do edital prevê mudança no critério de julgamento das propostas, que passa a ser o da menor tarifa de pedágio a ser ofertada pelas empresas interessadas. O governo também definiu que os empreendedores terão de depositar, previamente à assinatura do contrato, R$ 6,7 milhões por ponto percentual a partir de 1% de deságio. O valor será destinado a uma conta de aporte para garantir a execução dos investimentos previstos em contrato. A abertura dos envelopes da licitação, a ser realizada na sede da B3, em São Paulo, deverá ocorrer no fim de março de 2022.

“Após um intenso debate público, conseguimos melhorar muito a proposta que havia sido inicialmente apresentada à sociedade. Estamos apresentando um projeto que atende a maior parte das demandas recebidas, antecipando investimentos tão aguardados pela população e com um valor de tarifa próximo ao que se pratica hoje no país e no Estado. E a expectativa é que possa ser ainda mais reduzida com a disputa entre as empresas”, afirma o titular da secretaria extraordinária de Parcerias, Leonardo Busatto.

Pedágios

As seis praças de pedágio vão ficar em São Sebastião do Caí, Flores da Cunha, Ipê, Capela de Santana, Farroupilha e Carlos Barbosa. Veja detalhes e preços previstos:

Praças Rodovias km
São Sebastião do Caí ERS-122 4
Flores da Cunha (existente) ERS-122 103
Ipê ERS-122 152
Capela de Santana ERS-240 30
Farroupilha ERS-122 45
Carlos Barbosa ERS-446 6

 

Valores máximos previstos para cada praça de pedágio:

Praças Valores
São Sebastião do Caí R$ 9,95
Flores da Cunha (existente) R$ 6,94
Ipê R$ 6,98
Capela de Santana R$ 7,28
Farroupilha R$ 8,61
Carlos Barbosa R$ 7,95

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui