Segundo informações obtidas pelo Estradas a maioria dos tanqueiros e caminhoneiros não vão aderir a greve Foto: Divulgação/SindTanque

Estradas apurou que a maioria dos caminhoneiros não vai aderir ao movimento, inclusive os tanqueiros, responsáveis pelo transporte de combustível

Segundo levantamento da reportagem, na região Sul do Brasil, onde o movimento teve força, em alguns locais, principalmente na BR-101, em Santa Catarina, não há sinal de que haverá paralisação. Da mesma forma, não há sinais de adesão na região Sudeste nem na região Nordeste.

Assim como não há nada significativo em outras regiões do país. Existe uma possibilidade de haver piquetes no Porto de Santos (SP), por conta do envolvimento específico do Sindicato local. Como nas últimas paralisações, poderá ocorrer algumas manifestações e tentativa de impedir carregamento nas refinarias. Entretanto, segundo informações obtidas pelo portal, não haverá adesão significativa de tanqueiros.

Ainda conforme apurou o Estradas, algumas entidades como a NTC e a ABICAM – Associação Brasileira dos Caminhoneiros não estão apoiando o movimento. A reportagem apurou também que os próprios caminhoneiros não estão a favor da paralisação, e que se trata de mais uma tentativa de movimento político, como ocorreu também no 7 de setembro.

Segundo o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, as supostas lideranças não lideram. “Ora a direita, ora a esquerda, ora os oportunistas de plantão, essas paralisações deixam claro que essas supostas lideranças, não lideram. A maioria dos caminhoneiros, principalmente os autônomos, sabe que esse tipo de movimento não produz os resultados esperados. Já os motoristas empregados não se sentem representados”, frisa.

Jornada de trabalho

Ainda segundo Rizzotto, nas pautas, em momento algum, se fala sobre a questão da jornada de trabalho, do tempo de direção contínua, da pressão que esses condutores sofrem para poder chegar ao destino e ter algum tipo de benefício – comissão ou bonificação – por chegar antes com a carga. “Muitas vezes, esses profissionais não têm o descanso necessário e não cumprem a legislação, no que tange ao tempo de direção contínua e ao descanso entre jornada de trabalho”, ressaltou.

Fiscalização

A fiscalização mais recente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), com relação à jornada de trabalho, tem sido decisiva para inibir esse tipo de comportamento, que gera risco a todos. “Quanto mais fiscalização de jornada, de tempo de direção contínua e de descanso entre jornada, nós tivermos, no Brasil, menos acidentes, menos uso de drogas e aumento do valor do frete, porque esse sistema de exploração baixa o valor do frete”, ressaltou o coordenador.

NTC se manifesta

A NTC&Logística, bem como suas entidades representadas por Federações e Sindicatos, e todas as empresas por elas representadas, são contrárias a qualquer paralisação de suas atividades.

Diante dos últimos acontecimentos, ameaças de paralisação e também informações
contrárias do que a entidade acredita e propaga, à presidência da NTC encaminhou um ofício ao Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, reforçando sua posição. Veja na íntegra:

Excelentíssimo Senhor Ministro, a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística – NTC&Logística, vem manifestar a preocupação dos empresários de transporte rodoviário de cargas com a visão ainda existente em setores do Governo Federal de empresas de transporte apoiarem a greve dos caminhoneiros que vem sendo anunciada para ter início na próxima semana.

Essa visão não encontra respaldo na realidade. A entidade que representa as empresas do TRC em âmbito nacional vem reiterar a Vossa Excelência o posicionamento já expresso em oportunidades anteriores – frontalmente contra todos os movimentos de paralisação dos caminhoneiros – por entendermos que não se justifica aterrorizar a população brasileira com ameaça de desabastecimento generalizado para uma determinada categoria obter benefícios na política de preços dos combustíveis.

É inconcebível para o Governo seguir sendo submetido a ameaças de paralisação do tráfego nas rodovias sem que a resposta seja clara e inquestionável da ação imediata dos órgãos de segurança no sentido de assegurar a livre movimentação daqueles que quiserem  trabalhar. 

Reitera-se que as empresas do setor estarão à disposição para assegurar, com suas frotas próprias, o abastecimento das cadeias de produção e de consumo em todo o território nacional, desde que mantido o livre e seguro trânsito dos nossos veículos nas rodovias.

Aproveitamos o ensejo para reiterar a confiança na disposição de Vossa Excelência e do Governo Federal de garantir ao povo brasileiro o normal funcionamento da atividade econômica considerada essencial que é o transporte rodoviário de carga. Com a certeza da atenção ao presente, apresentamos nossos votos de elevada estima e consideração.

Atenciosamente,
Francisco Pelucio – Presidente da NTC&Logístic

18 COMENTÁRIOS

  1. Verdade muitos vão fica em casa não tem como sair com esses preços do combustível aumentando 2 vezes por semana, eu vou parar o caminhão na porta de casa e esperar a Petrobrás manda o presidente embora

  2. Ou nois paramos ou somos obrigado a parar não temos condições de trabalhar com o disel desse preço e o frete baixo.so pra ter uma ideia o frete de minha saudade em Araguari minas era de 140 a tonelada o disel era de 3.70 o litro hoje o mesmo frete tá 80 a tonelada e o disel está a 5.70 como vamos trabalhar assim eu mesmo se não tiver a greve ou Mudar alguma coisa até final de janeiro
    eu estou encostando o caminhão e desistindo da profissão. Infelizmente essa e nossa realidade

  3. Na verdade ,o governo q eu ajudei à colocar lá ,está contando com o fato da maioria dos autônomos é semi analfabeto ,qdo muito ,só sabe desenhar o proprio nome ,por conta disso estamos nessa situação,o próprio ministro nos chamou de burros ,por não sabermos gerir nosso negócio,mas tbem tem o outro lado que não podemos esquecer , estamos concorrendo com empresários e todo tipo de gente q nunca teve caminhão e hoje tem porquê usa o mesmo pra lavar dinheiro ilícito , CAMINHÃO HOJE É UM DOS MELHORES MEIOS DE LAVAR DINHEIRO ,e motorista de caminhão na sua maioria gosta de sonegar impostos

  4. Essa matéria só poderia ter sido financiada por donos de empresas, com certeza.
    Quem é a NTC pra falar em nome da categoria?

  5. Categoria desunida tem que morrer de fome. Esquece greve continuem trabalhando de graça que quando morrerem outro que só pensa no umbigo assume seu lugar. E boa sorte aos verdadeiros guerreiros

  6. A vossa senhoria que se diz presidente da NTC logística acho que o Sr não e brasileiro tão pouco usa transporte terrestre dessa forma se a usassem não seria contra o direito de todos este não será um bem a alguns mais se fazem necessários para toda a população mais vulneráveis que precisa trabalhar para conseguir leva se que o necessário para seus familiares . Att. Valdeci Ribeiro de SP

  7. Esse lance de paralisação é pura política do “quanto pior, melhor”, ou seja, tudo o que for para piorar a situação do governo, melhor para a oposição, simplesmente isso, mas infelizmente só prejudica a população, o lado mais fraco da corta.

  8. Infelizmente a real mesmo é que o brasil num tem união e que se nós os caminhoneiros fôssemos unidos ai sim seria uma história diferente mas somos taxados como bandidos pela sociedade, se fosse índios,sem terras,bancos e funcionários públicos querendo paralisar para obterem benefícios aí sim seria apoiados pela sociedade mas como somos invisíveis aos olhos da população brasileira então não à o que fazer…Infelizmente é assim que nós os caminhoneiros somos vistos e sem apoio de ninguém…

  9. Em partes estou de acordo com o texto, porém a citação refere- se somente a preocupação com a segurança dos veículos e não citam os seus colaboradores , mas em fim essa é a realidade do caminhoneiro no Brasil!!!

  10. Eu creio que o não cumprimento da jornada de descanso é pelo frete baixo que obriga caminhoneiro a fazer viajens sem descanço para poder pegar outro frete.
    O descaso com a categoria começa no proprio caminhoneiro que não respeita o frete minimo, baixando o frete p ter mais viajens e consequencia o descanso minimo.
    Estadia a transportadora recebe e não quer pagar o valor devido.
    Então como se resolve isso?

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui