Depois de várias tentativas de prorrogação do contrato da Nova Dutra, concessionária do grupo CCR que administra a rodovia mais importante do país, a ANTT confirmou que não vai prorrogar o contrato conforme desejava a concessionária. Conforme o Estradas.com.br já tinha apontado, o contrato original da concessão previa a obra da descida da Serra das Araras, no trecho fluminense, que não foi realizado depois de mais de 20 anos de concessão, com uma série de justificativas no mínimo questionáveis.

Nos últimos anos, surgiu o projeto de uma nova descida, que na realidade seria pela antiga subida, com valores muito acima do previsto anteriormente, devido a dimensão do projeto, o que somente viabilizaria a obra de três formas: 1) Prorrogar o contrato de concessão 2) Aumentar o já caro pedágio da Dutra 3) O Governo pagar a diferença do custo da obra prevista originalmente

Em 01 de dezembro do ano passado o Estradas.com.br publicou com detalhes a estratégia do Grupo CCR para conseguir continuar controlando a rodovia. Veja a matéria:  NovaDutra usa obra que não fez como justificativa para prorrogar a concessão, em que nos posicionamos frontalmente contra a ampliação do contrato.

A Nova Dutra ainda mantém a esperança de conseguir que o Presidente Michel Temer autorize a prorrogação do contrato para basicamente executar obras que já deveriam estar prontas.  Caso contrário terá que concorrer novamente em 2021 quando encerra a concessão, para conseguir continuar no comando da Rodovia Rio-São Paulo. Para isso provavelmente terá que baixar o valor do pedágio para não perder, conforme ocorreu com a concessão da Ponte Rio-Niterói, que também pertencia ao Grupo CCR.

O Estradas.com.br mantém sua posição contra qualquer prorrogação de contrato de concessão. Esse tipo de instrumento compromete a livre concorrência e prejudica os usuários das rodovias brasileiras, principalmente das concessões mais antigas, cujos valores são exorbitantes. A Nova Dutra tem todo direito de concorrer em 2021, quando vence a concessão, inclusive leva vantagem por já conhecer e controlar o trecho mas prorrogar, sem ter  realizado a nova descida da Serra das Araras, não. Afinal, é inadmissível que a rodovia que liga as duas metrópoles ainda tenha trecho de pista sem acostamento, com velocidade máxima de 40km/h.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo que é pro Estado do RJ é atraso, veja bem, ccr pega dinheiro a mais de 30 anos de concessão e agora diz que só realiza a obra se estender, não dá pra acreditar mais nesse Brasil, torço pra que eles percam a concessão, como perderam na ponte que está em obra com a nova concessão, coisa que ela nunca realizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui