CLANDESTINO: Veículo envolvido em acidente na BR-135, na BA, com quatro mortes e 21 freidos não tem cadastro na ANTT, assim como a empresa Valdo Tur. ANTT informou que nem o veículo nem a empresa podiam realizar serviços de transporte de passageiros. Fotos: Divulgação

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o veiculo não está habilitado na frota de nenhuma empresa cadastrada na ANTT nem tampouco a Valdo Tur tem autorização para operar transporte regular ou fretado

O ônibus Mercedes-Benz, placas HGJ-1617, envolvido no acidente na BR-135, em Barreiras (BA), na sexta-feira (15), que matou quatro pessoas e deixou outras 21 feridas, é clandestino, assim como a empresa Valdo Tur, de acordo com a Agência Nacional de Transportes Terretres (ANTT).

O Estradas procurou a ANTT para saber se a empresa e o veículo têm autorização para o transporte de passageiros no Brasil. Eis a resposta da ANTT:

O veiculo Mercedes-Benz, placas HGJ-1617 não está habilitado na frota de nenhuma empresa cadastrada na ANTT. Também informamos que a empresa Valdo Tur Viagens e Turismo, não tem autorização da ANTT nem para operar transporte regular nem para fretado.

No sábado (16), o Estradas publicou matéria na qual informava que o ônibus tem dez multas – todas lavradas em 2020 -, sendo que cinco delas são em decorrência de excesso de velocidade superior à máxima permitida em até 20%, três por excesso de carga e duas por dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança.

Em novo contato com a empresa, na manhã desta segunda-feira (18), a reportagem questionou a falta de cadastro na ANTT. O proprietário Edvaldo Gomes voltou a dizer que a tanto a empresa como o ônibus estão regularizados junto à Agência.

SEM REGISTRO: Proprietário da Valdo Tur, Edvaldo Gomes, recusou-se a mostrar documento que comprova a regularização junto à ANTT.

Quando a reportagem solicitou os documentos para comprovar, Gomes recusou-se a continuar a conversa e disse que não iria justificar nada. “O senhor liga diretamente para o escritório da Livre Brasil que o senhor vai saber”.

O Estradas entrou em contato, via e-mail e telefone, com a Livre Brasil, com sede na Rua Solange Bernardes Decliê, 225, Bairro Diamante, em Belo Horizonte (MG), mas até a publicação desta matéria não recebeu nenhuma posição.

Corpos das vítimas liberados

Os corpos das quatro vítimas fatais foram identificados e liberados às famílias. Entre elas, há uma criança. Eis os nomes:

  • Thayrine Rodrigues Silva
  • Francisco Wanderson de Abreu
  • Gutemberg Abreu Santana
  • Jhonatas Moreira de Souza

1 COMENTÁRIO

  1. ANTT COMPACTUA COM O CRIME…

    LAVANDO DINHEIRO – LAMSA NUNCA DEU LUCRO PARA O CONTRIBUINTE CARIOCA MUITO MENOS PARA O MUNICÍPIO, ISSO É FALSO – Pedágio em AVENIDA como o da Linha Amarela em qualquer situação de estado ou de iniciativa privada é crime de EXTORSÃO & FRAUDE FISCAL, entre outros crimes permanentes cometidos pela ORCRIM OAS-LAMSA-INVEPAR, esses estelionatários, que sonegavam, desviaram e lavaram dinheiro usando transportadoras de valores e doleiros, com uso de recibos falsos desde sua inauguração, superfaturavam e em outras ocasiões subfaturaram, mentiam e falsificavam sua contabilidade para iludir acionistas e o fisco, fonte de distribuição de propina e corrupção de autoridades nos três poderes e a tribunais, formadores de quadrilhas enormes, fizeram apologia ao crime de estado, contabilizando arrecadação por estimativa, onde não há interesse público à cidadania e aos contribuintes uma empresa laranja, testa de ferro que nasceu para furtar o erário se apoderou de bens público de uso comum do povo sem sequer ter participado de licitação, na clandestinidade em conluio com autoridades inescrupulosas. (LuizPCarlos).

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui