O projeto da ponte estaiada sobre o rio Gravataí, na BR-448, foi submetido a ensaios em túnel de vento no Laboratório de Aerodinâmica das Construções – LAC da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Os resultados foram apresentados, ao DNIT e às empresas contratadas para as obras da Rodovia do Parque, no mesmo local onde os testes foram realizados.

Os ensaios seguem orientação da NBR 6123, norma da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, que determina as condições exigíveis na consideração das forças devido à ação estática e dinâmica do vento, para efeitos de cálculo de edificações.

Os responsáveis pelos ensaios atestam que o projeto da obra de arte especial está de acordo com as normas de segurança, sem risco de colapso. “Estes ensaios nos dão a garantia de segurança total da ponte. Ela é uma obra de dimensões poucas vezes vistas e, por isso, a importância de termos esta segurança atestada”, comenta o Superintendente Regional do DNIT no Rio Grande do Sul, engenheiro Vladimir Casa.

De acordo com o diretor do Laboratório, professor Acir Mércio Loredo Souza, uma maquete seccional da estaiada foi submetida a efeitos estáticos e dinâmicos. Ele explica que desta forma foi possível verificar as variações de flexões e torções que a estrutura sofreu em diferentes velocidades e sentidos das rajadas de vento simuladas dentro do túnel. “Isto só é possível a partir de um modelo seccional, pois ele é mais rico em detalhes e demonstra as diferentes simulações de turbulência”, destacou.

A ponte estaiada, cujos pilares já estão em construção na divisa das cidades de Canoas e Porto Alegre, foi projetada com 268 metros de extensão. Localizada entre o km 21,4 e o km 21,7, terá torres com 75 metros de altura e seis faixas de rolamento, três para cada sentido de tráfego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui