O MAIOR: De acordo com os policiais, essa apreensão foi uma das maiores dos últimos anos no Estado do Paraná. Foto: Divulgação

Duas pessoas foram detidas e um caminhão apreendido; área que funcionava como depósito fica em meio à mata, nas imediações do Rio Piquiri

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF) e o Exército Brasileiro estouraram nesse domingo (18), em Francisco Alves (PR), um depósito clandestino de cigarros contrabandeados do Paraguai.

De acordo com os policiais, no local foram encontraram cerca de 1,5 milhão de carteiras de cigarro, cujo valor de mercado corresponde a R$ 7,5 milhões. Esta é uma das maiores apreensões de cigarro realizadas nos últimos anos no estado.

Por volta de 2h40, as equipes policiais se depararam com uma carreta estacionada ao lado de acampamento que servia de base para uma organização criminosa especializada em contrabando. A área, escondida em meio à vegetação, fica nas imediações do Rio Piquiri.

Adolescente entre os suspeitos

Um homem de 21 anos de idade foi preso em flagrante e um adolescente de 15 anos, apreendido.  Ambos disseram ter sido contratados para descarregar embarcações e carregar veículos, além de vigiar a carga ilícita.

No local, havia uma estrutura de apoio formada por alojamento, espaço para estocar mantimentos e roupas, além de uma pequena horta.

Do total de 1,5 milhão de carteiras apreendidas, 500 mil estavam no semirreboque de um caminhão frigorífico, que também foi apreendido. O restante ainda estava depositado no próprio acampamento.

O crime de contrabando prevê uma pena de dois a cinco anos de prisão. A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia da Polícia Federal em Guaíra. O adolescente foi encaminhado para a a Delegacia da Polícia Civil, no mesmo município.

A ocorrência desta madrugada faz parte da Operação Hórus, coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A operação, que reúne diversos órgãos de segurança pública, tem como objetivo impedir a entrada de drogas, cigarros, armas e munições pelas fronteiras do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui