Equipe de resgate atende atropelamento em rodovia paulista
O Fala Brasil da Record TV, apresentou os dados do SOS Estradas, levantados para a campanha que estamos realizando este mês com várias entidades

Quase 10 mil pedestres morreram ou ficaram feridos nas estradas brasileiras no ano passado. Os acidentes são provocados pela imprudência dos próprios pedestres, que se arriscam ao atravessar no meio dos carros ou pela irresponsabilidade de muitos motoristas.

Em um dos casos, uma dentista recém-formada foi atropelada em uma rodovia na Bahia quando voltava da praia. Ela foi surpreendida na faixa de pedestres. De acordo com testemunhas, o motorista estava embriagado e em alta velocidade.

O Fala Brasil tem sempre dado espaço ao tema da segurança viária. Veja a matéria na íntegra:

O SOS Estradas estima que 2 mil pedestres morreram nas rodovias brasileiras em 2021 e mais de 7.000 ficaram feridos

Somente nas rodovias federais foram 2.211 feridos e 893 mortos, segundo o Anuário da Polícia Rodoviária Federal (PRF); apesar da redução de tráfego durante a pandemia.

No mesmo ano, somente nas rodovias estaduais de São Paulo foram 962
feridos e 333 mortos. Já o Rio Grande do Sul registrou, em 2021, total de 153 feridos e 64 mortos nas rodovias estaduais. No Paraná foram 77 vítimas fatais e 92 feridos.

O total de vítimas nas rodovias federais, somado com o dos estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, resulta em 1.367 mortos e 3.418 feridos, dos quais muitos vêm a óbito posteriormente.

De acordo com o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, a estimativa do total de mortos passa fácil de 2 mil e o número de feridos pode superar os 7 mil. “Somente na soma das vítimas nas rodovias federais e três estados (SP, PR e RS), já são 1.367 mortos. Faltam ainda dados de 23 estados. No Distrito Federal, foram 20 vítimas fatais em 2021, o que eleva o número de mortos para 1.387”, frisa.

“Aliás, é lamentável que seja tão difícil obter dados sobre acidentes, mortos e feridos nas rodovias estaduais brasileiras. Como estabelecer políticas públicas para reduzir vítimas nas estradas quando o estado não disponibiliza essa informação?”, questiona Rizzotto.

Em 2020, foram pagas 9.177 indenizações por mortes de pedestres e 70.151 pessoas receberam indenizações por invalidez por meio do DPVAT
Dados da Seguradora Líder, que administrava o DPVAT até 2020, revelam ainda que somente em 2020 foram pagas indenizações pela morte de 9.177 pedestres em rodovias e vias urbanas. Além disso, foram pagas indenizações por invalidez permanente para 70.151 vítimas. Infelizmente, a Caixa Econômica Federal, que assumiu o DPVAT, não disponibiliza essas informações on-line. Nem divulgou dados sobre 2021.

Segundo Rizzotto, é preciso dar segurança aos pedestres, principalmente nas rodovias, que são a principal avenida da maioria das cidades do interior; sem contar que na área rural não existe praticamente nenhuma proteção para essas pessoas.

“Em muitas cidades do interior, desligaram os radares onde os pedestres atravessavam e não ofereceram nenhuma alternativa para a população. O atropelamento nas rodovias costuma ser fatal ou causar lesões graves, em função da velocidade. Precisamos também conscientizar motoristas e pedestres sobre as situações de risco”, explica Rizzotto.

Campanha do SOS Estradas quer conscientizar motoristas e pedestres com a participação de vários setores da sociedade

Para chamar a atenção da sociedade e, ao mesmo tempo, contribuir com a conscientização de motoristas e pedestres, o SOS Estradas, com apoio de várias entidades e postos de rodovias, está lançando campanha educativa com esses dados e dicas de cuidados que devem ser tomados pelos condutores e pedestres, no intuito de evitar mais mortes. Acesse aqui e compartilhe gratuitamente as peças da campanha.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui